Miriápodes (Quilópodes e Diplópodes)

Por Fabiana Santos Gonçalves
Os miriápodes são artrópodes chamados de unirremes, por não possuírem apêndices ramificados. As mandíbulas não são articuladas. Possui um par de antenas, as trocas gasosas são feitas pelas traquéias e os órgãos excretores são os túbulos de Malpighi. São terrestres, não existindo representantes aquáticos.

Os miriápodes possuem uma cabeça e um tronco alongado, com muitos segmentos, que possuem pernas. Habitam locais terrestres úmidos, pois não possuem cutícula. Vivem escondidos embaixo de pedras, troncos e rochas. Na cabeça há ocelos, alguns representantes possuem olhos compostos, peças bucais na região ventral, voltadas para frente.

Estes animais precisam evitar a perda de água, por isso em seu sistema traqueal os estigmas ficam fechados. O coração é um tubo dorsal. O sistema nervoso consiste de um cordão nervoso ventral que tem um gânglio em cada segmento.

Classe Chilopoda (Quilópodes)

Nesta classe estão as centopéias, que estão distribuídas por todo o mundo, com cerca de 3000 espécies descritas. A maior centopéia do mundo mede 26 centímetros. Têm o hábito de viver escondidas, não só de predadores, mas também para evitar a dessecação, portanto, possuem hábitos noturnos.

As centopéias possuem um par de pernas por segmento, garras de veneno para se proteger e o último par de patas pode ser usado para defesa, dando tipo uns “beliscões”. O par de patas do 1o segmento do corpo é transformado em forcípula, estrutura que possui glândulas de veneno. Algumas espécies produzem glândulas repugnatórias, que são chutadas contra o inimigo, e expelem gotas adesivas.

As centopéias são adaptadas para correr, sendo as pernas das corredoras mais longas. Também são adaptadas para cavar, e a força é obtida por contrações do tronco.

São predadoras de pequenos artrópodes, mas algumas espécies se alimentam de minhocas e caracóis.

A transmissão de espermatozóides é indireta. Frequentemente há um ritual de acasalamento e o macho libera o espermatóforo, e a fêmea apanha-o. A fêmea guarda os ovos até o momento da eclosão. O desenvolvimento é direto.

Classe Diplopoda (Diplópodes)

Nesta classe estão os piolhos-de-cobra. Possuem 2 pares de patas por segmento, são animais herbívoros e detritívoros, não possuindo forcípula. Costumam viver escondidos da luz para evitar dessecação. Existem cerca de 75.000 espécies descritas.

O tegumento destes animais está impregnado com sais de cálcio. Normalmente a superfície é lisa, mas alguns animais têm cristas, tubérculos, cerdas ou espinhos. A coloração da maioria dos diplópodes é preta e marrom, existindo representantes vermelhos, alaranjados e até manchados.

Não costumam serem animais ágeis, pois se locomovem lentamente. Porém as pernas têm força suficiente para abrir caminhos no solo. Como não são ágeis, as espécies mais frágeis foram sendo eliminadas por seleção natural, restando aquelas que contavam com mecanismos para sua defesa, como um esqueleto rígido e podem enrolar o corpo, como um espiral. Algumas espécies possuem glândulas repugnatórias, havendo 1 par de glândulas por segmento. Esta secreção pode ser tóxica ou repelente.

Em algumas espécies os olhos podem estar ausentes. As antenas possuem pêlos táteis.

A transferência de espermatozóides é indireta, havendo a presença de um espermatóforo, mas não em todas as espécies. Os ovos são depositados em ninhos e depois de alguns dias eclodem os jovens. Algumas espécies têm partenogênese.