Níveis Tróficos

Por Caroline Faria
Os níveis tróficos são as etapas, ou níveis, da cadeia alimentar. A cadeia alimentar (uma pequena porção da chamada “rede alimentar”), é sempre composta por diferentes níveis que são caracterizados de acordo com o tipo de alimentos que os organismos consomem.

No primeiro nível trófico estão os organismos produtores. Estes organismos são capazes de produzir seu próprio alimento e, por isso, são chamados de “autótrofos”. Todas as plantas clorofiladas, algumas algas (cianofíceas) e algumas bactérias são capazes de produzir seu alimento através da fotossíntese. Neste processo, os seres autótrofos sintetizam matéria orgânica a partir de minerais e da luz do sol.

Nos próximos níveis tróficos estão os organismos consumidores, ou “heterótrofos” (também chamados de “heterotróficos”) que, por não serem capazes de produzir seu próprio alimento precisam obter energia através da ingestão de matéria orgânica. Neste grupo estão os herbívoros, que se alimentam dos vegetais, os carnívoros e os decompositores.

Os organismos decompositores ou detritívoros constituem um último nível na cadeia alimentar. São as bactérias e fungos que se alimentam de praticamente tudo, desde que constitua matéria morta. Assim, eles fecham a relação trófica, pois através deles a matéria é novamente decomposta e retorna ao meio ambiente para novamente ser usada pelos organismos autotróficos na síntese de matéria orgânica.

A hierarquização dos níveis alimentares (ou níveis tróficos) é determinada pelas especificidades do meio físico em que a cadeia alimentar se insere. Alguns animais ocupam mais de um nível trófico se alimentando tanto de vegetais quanto de outros animais. Estes são os onívoros, por exemplo, o homem.