Osmose

Por Fabiana Santos Gonçalves
Osmose é a passagem do solvente de uma região pouco concentrada em soluto para uma mais concentrada em soluto, sem gasto de energia.

Podemos observar este processo quando temperamos uma salada de tomate com sal, por exemplo. Logo após um tempo há o acumulo de uma solução aquosa no recipiente, que é a água que as células perderam para o meio, que estava hipertônico em relação à célula.

Representação esquemática da osmose em células vegetais.

Representação esquemática da osmose em células vegetais.

Para entendermos a osmose é importante conhecermos os seguintes conceitos:

Solução hipertônica: Solução que está mais concentrada em soluto que o meio;
Solução hipotônica: Solução que está menos concentrada em soluto que o meio;
Solução Isotônica: Quando a concentração de soluto na célula e no meio são iguais.
(veja: Química: Soluções)

Pressão osmótica

Quando temos um sistema hipotético à 20º C, com dois compartimentos separados por uma membrana semipermeável, e em um compartimento temos água pura e no outro uma solução, chamamos de Pressão Osmótica a força que deverá ser aplicada para parar a osmose neste sistema.

A pressão osmótica também está relacionada com o turgor da planta, crescimento e movimentação, além de outras atividades.

Energia

A osmose ocorre de um local onde o solvente tem um alto potencial químico para um local com solvente de baixo potencial químico. O potencial químico aumenta com a temperatura e com a pressão, diminuindo com a concentração do soluto.

Os conteúdos celulares também estão sob Pressão de Parede, que aumenta a energia livre da célula.

O potencial químico φ do solvente (ou potencial de água da célula) nos mostra a direção da difusão. A osmose sempre acontecerá no seguinte sentido:

φ A -> φ B
->
Osmose

φ assume sempre um valor negativo, sendo o valo zero para a água pura e é o resultado da interação da Pressão de Parede (Pw) com o Potencial Osmótico (π), logo:

φ = π + Pw

O potencial osmótico está relacionado com a energia livre da célula.

Na região de absorção de água na planta, ou seja, na raiz, o valor de ψ é mais alto que nas folhas, o que promove a movimentação de água no xilema, do solo até as folhas para que ela faça a fotossíntese.

Apesar das condições nas plantas estarem sempre em equilíbrio, ela está sempre absorvendo e perdendo água.