Água nos seres vivos

A molécula de água é composta por hidrogênio e oxigênio (H20) e está presente na Terra nos estados sólido, líquido e gasoso. Em nosso planeta, ocupa cerca de 70% de toda a superfície além de estar nos lençóis freáticos muito abaixo do solo. A água é de suma importância para os seres vivos mais diversos desde os microscópicos até as plantas.

A vida na Terra é originária de meios líquidos na Terra primitiva. Além disso, a água tem importância econômica e ambiental.

Dentro dos seres vivos, a água é indispensável. Um recém nascido humano tem cerca de 2,4 quilos de água e apenas cerca de 600 gramas de outros componentes. Isso se explica pelo fato do meio de desenvolvimento do feto ser aquoso dentro de sua mãe.

Um humano adulto tem cerca de 60% do seu corpo composto por água. Esta água está presente de várias formas como na urina, no sangue, no suor e em substâncias presentes em vários órgãos. Além disso, até mesmo nos ossos está presente uma grande quantidade de água.

O sangue é responsável por circular oxigênio para os pulmões, substâncias para órgãos diversos, transporta gás carbônico além de ajudar no combate a infecções em todas as áreas do corpo.

As substâncias no corpo humano são bem dissolvidas na água e servem para realizar várias funções. As células também apresentam um meio aquoso e necessitam da água para continuarem hidratadas.

Nas plantas, a seiva também é rica em água e transporta todos os nutrientes necessários. Basicamente, há duas seivas: uma vai da raiz para as folhas e outra vai da raiz para as outras partes. A seiva é uma reunião de água com sais minerais e outras substâncias que são retiradas do solo pelas raízes.

Os seres humanos estão constantemente ganhando e perdendo água assim como os outros seres. Ganhamos água não só quando bebemos, mas também quando ingerimos alimentos. Por exemplo, maçã, laranja e limão são exemplos de alimentos que possuem grandes quantidades de água. A perda da água se dá pela excreção de fezes e urina, além da transpiração (suor).

Esta perda de água pode levar à morte quando feita em grandes quantidades sem reposição. Caso um humano perca cerca de 10% da água de seu corpo pode correr grandes riscos de ficar com graves danos, sendo alguns destes danos até mesmo permanentes. Caso perca 20% ou mais, os órgãos param de funcionar e causa a morte do indivíduo.

Vários animais e plantas conseguem realizar mecanismos diversos para economizar água e regular a perda. Cobras e lagartos conseguem sobreviver em locais com pouquíssima água assim como cactos e plantas suculentas. No caso da cobra e dos lagartos, há escamas que protegem todo o seu corpo impedindo a perda de água em excesso.

O corpo dos insetos é revertido por uma casca dura que impede a perda de água e as plantas como os cactos têm caules firmes e duros.

Arquivado em: Água, Bioquímica, Metabolismo