Mediadores Químicos

Uma substância é classificada como mediador químico quando é produzida por uma fibra nervosa excitada e atua como intermediária nas transmissões de impulsos nervosos até os receptores por meio das sinapses químicas.

Tais substâncias são produzidas pelas células do organismo e distribuídas para todo o corpo, processos controlados pelo sistema hipotálamo-hipofisário. Têm o poder de produzir diversos tipos de reações, existem em grande número na natureza e podem ser divididos em três grupos:

  1. Neurotransmissores: substâncias químicas produzidas pelos neurônios, que desempenham a função de conduzir informações às demais células do corpo. Fazem parte desse grupo a dopamina, substância que controla a atividade motora; a serotonina, que está relacionada ao humor, memória e aprendizagem; a adrenalina, responsável pela indução da excitação física e mental; a endorfina, substância capaz de modular a dor e reduzir o estresse; entre outros.
  2. Neuropeptídios: cadeias longas de aminoácidos sintetizadas pelo retículo endoplasmático rugoso e clivadas no complexo de Golgi das células nervosas, onde são convertidos em neurotransmissores ativos. Atuam nos mecanismos de adaptação do organismo ao estresse, bem como no processo de regulação, transmissão e realização das atividades dos sistemas nervosos. Dentre os neuropeptídios estão a Substância P, responsável pela sensação de dor e, consequentemente, pela resposta aos estímulos dolorosos; a colecistoquinina, que tem a função de provocar as contrações da vesícula biliar, estimulando a produção de bile; a somatostatina, que atua indiretamente na regulagem da glicemia, inibindo a secreção de insulina e glucagon.
  3. Hormônios: substâncias químicas produzidas pelo sistema endócrino ou pelos neurônios especializados. Nesse rol podemos citar os hormônios tireoideanos, responsáveis pela regulação da expressão gênica e pela diferenciação tecidual; os corticosteróides, hormônios que atuam no balanço eletrolítico e na regulação do metabolismo; os andrógenos, que estimulam o desenvolvimento e a manutenção das características masculinas; os adrenocorticotrópicos, que estimulam as células da glândula adrenal a sintetizar e liberar hormônios (especialmente o cortisol); e a insulina, que atua na redução dos níveis de glicose no organismo humano.

Além da classificação já mencionada, os mediadores químicos podem, ainda, ser agrupados de acordo com:

  • A composição: proteínas, carboidratos e lipídios.
  • A velocidade ação: pré-formados, aqueles liberados apenas para realizar sua função; os neoformados, sintetizados pela parede celular por meio de reações de enzimas; e as citocinas, que são basicamente mensageiras.
  • O tipo de função: desencadeantes, que têm efeito direto; e moduladores, que produzem resposta mais tardia;
  • O local de ação: específicos, agem somente num local; sistêmicos, atuam em todo o organismo.

Referências:
http://www.iapo.org.br/manuals/06-2.pdf
http://pt.scribd.com/doc/14180375/Bioquimica-neuropeptideos
http://pt.wikipedia.org/wiki/Neurotransmissor

Arquivado em: Bioquímica