Cultura da Antiga Civilização Egípcia

Por Leopoldo Toffoli

Escrita

A principal escrita egípcia eram os hieróglifos, que foram decifrados em 1822 pelo francês Jean-François Champollion. Os egípcios também tinham outros dois tipos de escrita, a hierática que era hieroglífica simplificada e a demótica que era mais simples e rápida.

As artes

Templo de Abu Simbel. Foto: Sphinx Wang / Shutterstock.com

Templo de Abu Simbel. Foto: Sphinx Wang / Shutterstock.com

A parte artística e cultural dos povos egípcios estava relacionada a tradições religiosas e funerárias. Pouca parte das obras egípcias foi criada como a arte pela arte, praticamente quase todas estavam interligadas num contexto religioso e político, como a representação do faraó.

O que mais marcou a arquitetura foram as grandes pirâmides construídas no Antigo Egito, com suas proporções gigantescas e com larga utilização da pedra como matéria-prima. Até hoje nos dias atuais, ainda não se sabe direito como foram construídas essas pirâmides, os historiadores dizem que os egípcios utilizavam rampas de terra para colocar os milhares de blocos de pedra uns sobre os outros, e quanto ao transporte, teria sido usado, provavelmente, trenós. As pirâmides representavam à força política e perpétua do governante divinizado e tinham relação com a imortalidade da alma.

Foram construídos também outros túmulos, além das pirâmides, os hipogeus, que eram subterrâneos, e as mastabas, que eram trapezoidais.

Nas esculturas era observada a lei do frontalidade, ou seja, o corpo humano era representado de frente e dividido em duas partes iguais, e o hieratismo, ou seja, a rigidez.

Pintura característica em parede de templo egípcio. Foto: Luisa Fumi / Shutterstock.com

Pintura característica em parede de templo egípcio. Foto: Luisa Fumi / Shutterstock.com

Nas pinturas era utilizada a pintura afresco, e as pinturas eram representadas com o rosto, pés e pernas de perfil, enquanto que os olhos e o tórax eram vistos de frente. Eram representadas cenas do cotidiano nas pinturas, e tinham também a função decorativa. A pintura era realizada principalmente na folha de papiro.

Os egípcios sabiam lidar bem com cálculos e faziam previsões das cheias do Nilo.

A literatura era basicamente em cima da ideologia religiosa e moral. Um dos livros mais importantes da literatura egípcia é o Livro dos Mortos ou Livro Sagrado, que seria para eles como uma bíblia.

Para eles haviam 360 dias divido em 12 meses, mais 5 dias de festas religiosas. O calendário baseava-se no movimento do Sol. As estações eram ditas conforme a agropecuária: verão, estação das cheias e inverno.

A religião

Os egípcios acreditavam na imortalidade da alma, no juízo final e no retorno da alma ao mesmo corpo, por esse motivo, quando mortos, os faraós eram embalsamados para que o seu corpo se conservasse até a sua volta.

A religião era de caráter politeísta. A religião desempenhou um papel de predomínio no cotidiano e no padrão cultural.

A representação divina podia ser de três formas: zoomórfica, antropomórfica e antropozoomórfica.