Himenolepíase

Himenolepíase é uma verminose causada pelo Hymenolepis nana, que é um parasita cosmopolita, mais frequente em regiões de clima quente. A densidade populacional e o hábito de viver em ambientes fechados são dois fatores muito importantes na determinação da incidência dessa verminose. A resistência de até 10 dias dos ovos do parasita em meio externo, os maus hábitos higiênicos, a ingestão acidental de alimentos e bebidas contaminados são formas bastante comuns de se contrair a himenolepíase.

No organismo, o Hymenolepis nana causa diversos sintomas no indivíduo, que varia em relação ao número de parasitas e a idade em que este indivíduo se encontra. São mais evidentes em crianças e se caracterizam principalmente por diarréias, dor abdominal, agitação, insônia, irritabilidade, raramente ocorrendo sintomas nervosos, dos quais os mais penosos são ataques epilépticos em formas variadas, incluindo cianos, perda de consciência e convulsões. Além disto, o verme pode causar extensas lesões na mucosa intestinal com pequenas ulcerações e perda de peso. O habitat principal do verme adulto é no intestino delgado, principalmente no íleo e jejuno do homem.

Os ovos de Hymenolepis nana possuem forma elíptica. A casca é formada por duas membranas separadas por largo espaço claro, são finas e transparentes deixando ver em seu interior o embrião hexacanto ou oncosfera com seus seis ganchos. Possuem ainda duas pequenas saliências polares chamadas mamelões, das quais partem filamentos. As larvas são pequenas, formadas por um escólex invaginado e envolvido por uma membrana. Contém pequena quantidade de líquido e são denominadas de larvas cisticercóides.

Os vermes adultos possuem o corpo achatado, de cor esbranquiçada. Medem geralmente cerca de 3 a 5 centímetros, porém seu comprimento varia em proporção inversa ao número de exemplares presentes no intestino.

O corpo dos vermes adultos estão divididos em três partes:

  • Cabeça ou escólex: Apresenta 4 ventosas e um rosto-retrátil armado de ganchos
  • Colo: Longo e sem segmentação
  • Estróbilo: Constituído de cerca de 100 a 200 proglotes bastante estreitos. Cada um destes possui genitália masculina e feminina. Os anéis grávidos apresentam-se repletos de ovos e quando se desprendem do estróbilo se rompem liberando os ovos.

Assim como em outras verminoses, para diagnosticar a himenolepíase é necessário fazer um exame de fezes, que com auxílio do método HPJ, o diagnóstico é dado pelo encontro de ovos nas fezes. O tratamento geralmente é feito com o uso dos fármacos praziquantel ou niclosamida. Porém, é fundamental procurar um médico em caso de suspeita da doença.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hymenolepis_nana
http://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/464/parasitologia-hymenolepis-nana
http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/hidrica/Himeno.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças