Himenolepíase

Graduado em Ciências Biológicas (UNIFESO, 2014)

Sempre abrir.

Himenolepíase é uma doença causada pelos platelmintos Hymenolepis nana e Hymenolepis diminuta. Hymenolepis nana são vermes conhecidos como "tênias anãs", pois são muito semelhantes às tênias maiores, sendo considerados agentes patogênicos que podem ser encontrados no trato intestinal do ser humano. Já a Hymenolepis diminuta pode ser encontrada em ratos, raramente infestando seres humanos.

Esses vermes são hermafroditas e possuem cerca de três a cinco cm de comprimento. São formados por grande quantidade de proglotes, chegando a 200 unidades, locais onde estão armazenados os seus ovos. Na parte superior do animal, denominada de escólex, apresentam quatro ventosas e ganchos que se prendem ao intestino do animal hospedeiro.

Existem dois tipos de ciclo de vida para esse animal: o monoxênico e o heteroxênico. O primeiro caracteriza-se pelo contágio somente entre os seres humanos, quando os ovos dos vermes eliminados nas fezes de uma pessoa acabam sendo ingeridos por outra, quando princípios básicos de higiene não são adotados. Ao entrarem em contato com o trato digestivo, esses ovos eclodem e penetram as microvilosidades do intestino nas porções do jejuno e íleo, fixando-se para evoluírem no cisticerco. Após dez dias o animal se desenvolve na fase adulta reprodutiva, que colocará novos ovos que poderão ser expelidos nas fezes ou eclodirão dentro do organismo fazendo uma reinfecção.

No ciclo heteroxênico, alguns animais apresentam a fase de cisticercose, em que os cisticercos passam para o ser humano através da ingestão da carne do animal. Alguns insetos, como a pulga e o piolho, podem também contaminar o ambiente espalhando os ovos dos vermes por onde passam. Essa forma de transmissão ocorre mais com crianças por estas terem o hábito de colocarem as mãos e os objetos na boca, além de frequentarem espaços fechados com outras crianças, em escolas e creches, locais propícios para uma infestação de piolhos.

Na maioria dos casos a presença do verme é assintomática, porém em pessoas com o sistema imune comprometido, idade avançada ou com quantidade muito grande de cisticerco no intestino, podem apresentar sintomas como diarreia, dor de barriga, desnutrição, perda de apetite e peso, e aumento dos eosinófilos, que são um tipo de glóbulos brancos que em excesso causam reação inflamatória. Em casos mais graves podem ocorrer lesões no intestino e infecção do sistema nervoso central, causando convulsões e perda de consciência.

O diagnóstico da himenolepíase é feito através do exame de fezes, em que a amostra coletada é examinada em busca de ovos dos vermes e o seu tratamento é constituído por medicamento anti-helmíntico.

A melhor forma de combate à doença é a prevenção, instituindo hábitos de boa higiene na rotina, como lavar as mãos com frequência, manter os ambientes limpos, bem como as superfícies, principalmente aquelas onde há manipulação de alimentos, lavar bem e cozinhar adequadamente os alimentos, não evacuar próximo aos rios, poços e lagoas que possam ser utilizados para agricultura ou uso pessoal de seres humanos, e beber água somente filtrada.

Referências:

https://educapes.capes.gov.br/bitstream/capes/206104/2/parasitos.pdf

https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/doen%C3%A7as-infecciosas/cest%C3%B3deos-vermes-em-fita/infec%C3%A7%C3%A3o-por-hymenolepis-nana-t%C3%AAnia-an%C3%A3

https://parasitologiaclinica.ufsc.br/index.php/info/conteudo/doencas/helmintoses/himenolepiase/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças