Peste negra

A peste negra é uma doença pulmonar causada pela bactéria Yersinia pestis; recebeu este nome por ter como um dos sintomas o aparecimento de manchas negras sobre o corpo. A princípio os sintomas aparecem em torno de 3 a 7 dias, apresentando tipicamente febre, cefaleia, fadiga, enjoos, vômitos e convulsões. Após isto, a doença pode se distinguir em 3 tipos, variando de acordo com o órgão em que ela se encontra alocado:

  • Peste bubônica: afeta o sistema linfático, causando inchaço nas glândulas linfáticas, progredindo para uma coloração esverdeada em consequência da degeneração da área, posteriormente aparecendo feridas abertas altamente contagiosas da doença.
  • Peste septicêmica: quando atinge a corrente sanguínea, levando a hemorragias e falência de órgãos ocasionando em manchas pretas. Esta variação pode ser proveniente do agravamento da peste bubônica.
  • Peste pneumônica: as bactérias alocam nos pulmões através da respiração ou transportada através da corrente sanguínea, ocasionando tosses com pus e sangue contagiosas.

A bactéria Yersinia pestis é encontrada primeiramente em roedores, e são transmitidas a outros mamíferos, inclusive os humanos, através de secreções como a saliva, ou por meio de picadas de pulgas.

O diagnóstico da doença provém da investigação destas secreções, no qual é depositado em um meio de cultura para verificação e identificação em microscópio e análises bioquímicas.

É recomendado como medidas de prevenção a eliminação de criadouros de vetores como ratos e pulgas e o uso de repelentes de insetos. Ao contrair a doença o indivíduo deve ser isolado, sendo tratado por antibióticos e outros medicamentos que diminuam os sintomas. Sem o devido tratamento e diagnóstico a peste se torna fatal.

Em 1347 a peste negra chega a Europa trazida por navios mercantes chineses, onde se disseminou rapidamente, em decorrência do aumento das atividades agrícolas e falta de saneamento e higiene básicas. Durante a Idade Média, acreditava-se que somente os pecadores ou devedores da Igreja seriam infectados pela doença, a peste dizimou um terço da população europeia. Com o surgimento dos problemas econômicos em decorrência das epidemias, várias questões sobre o ambiente e higiene de trabalho foram revistas, tornando as condições de trabalho mais favoráveis. As epidemias foram se perpetuando até 1889 e o seu único tratamento era a utilização do vinagre como repelente de insetos, pelo seu odor forte. Até a descoberta dos antibióticos, que tornaram a peste negra um problema menor de saúde.

Referências:
http://www.instituto-camoes.pt/glossario/Textos/Medicina/HTM/peste.html
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_vigilancia_controle_peste.pdf

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.