Pitiríase

Por Marina Martinez
O termo pitiríase é derivado do grego “pityron”, que significa farelo. Portanto, pode-se descrever a pitiriase como sendo uma patologia cutânea caracterizada pela produção de células epiteliais que se esfarelam. Esta enfermidade manifesta-se de diferentes maneiras e além de causar a descamação, apresenta machas acastanhadas, amarelas, brancas ou róseas na pele, dependendo de seu tipo.

Podemos classificar a pitiríase em três tipos:

Pitiríase alba: Este tipo de pitiríase é caracterizado por causar manchas hipocrômicas (manchas claras / esbranquiçadas) mal definidas e finamente descamativas. Manifesta-se principalmente na face, membros superiores e tronco e pode evoluir espontaneamente para outras regiões. As causas desta doença são ainda desconhecidas. No entanto o surgimento deste tipo de pitiríase está associado com a exposição excessiva a luz solar, banhos quentes prolongados e uso de sabonetes que ressecam a pele, especialmente no inverno. O dermatologista poderá receitar o uso de hidratantes específicos, fotoprotetores e cremes ou pomadas com corticosteróides, para o tratamento da doença. A pitiríase alba é uma dermatose com maior prevalência em países tropicais.

Pitiríase versicolor: Este tipo de pitiríase é um tipo de infecção fúngica (micose) superficial, causada por um fungo dimórfico e lipofílico chamado Malassezia furfur, que se manifesta na pele através de manchas amarelas e acastanhadas, recobertas por fina descamação. Por ser um fungo lipofílico, a Malassezia atinge áreas do corpo com maior secreção de gorduras, tais como o rosto, couro cabeludo e tórax. Como forma de tratamento o dermatologista poderá receitar antimicóticos e antifúngicos para uso tópico na região afetada. Caso a doença apareça no couro cabeludo, o médico poderá receitar o uso de xampu à base de Sulfeto de Selênio. O uso de hidratantes e protetores solares também auxilia no tratamento. Vale ressaltar que a pitiríase versicolor não é uma doença contagiosa e que tende a piorar sob a ação do sol.

Pitiríase rósea de Gilbert: É uma dermatose aguda que surge na pele inicialmente como uma placa rósea arredondada e escamosa de 2 a 4 cm de tamanho. Posteriormente surgem placas menores que se espalham ao redor da placa inicial e em outras regiões do corpo. Este tipo de pitiríase atinge principalmente os braços, coxas e tronco. Tem maior prevalência no sexo feminino e pode ocorrer um leve prurido na região afetada. A pitiríase rósea cura-se espontaneamente em seis ou oito semanas, no entanto é aconselhável consultar-se com um dermatologista para que ele possa recomendar cremes e hidratantes específicos para uma rápida melhora.

Fonte:
http://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/4818/ptiriase
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1953/pitiriase_alba.htm
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/1954/pitiriase_versicolor.htm
http://www.emmanuelfranca.com.br/doencas/doencas63_pitiriase_rosea.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.