Fair Trade

Fair trade” significa “comércio justo” e é justamente isto. Surgido na década de 60, a certificação Fairtrade representa uma iniciativa que congrega responsabilidade social, sustentabilidade e competitividade para pequenos e médios produtores.

A Fairtrade Labelling Organizations (FLO) é uma sociedade comercial sem fins lucrativos com base na responsabilidade social e que tem como finalidade garantir a eqüidade no comércio internacional.

A certificação funciona como uma cadeia, onde não apenas o produtor (na forma de cooperativa ou associação) é certificado, mas as indústrias também, de forma que toda a cadeia produtiva segue as regras do comércio justo.

Um dos mecanismos utilizados pela FLO é dispensar o uso de atravessadores, desta forma, a indústria que utiliza matéria-prima com a certificação Fairtrade e, que também é certificada, paga diretamente ao produtor.

Principalmente nos países da América Central e do Sul este sistema por si só já melhoraria e muito o preço pago ao produtor pela mercadoria. Mas, a FLO conta ainda com uma outra ferramenta. Para cada produto é estipulado um preço mínimo que deve ser pago ao produtor por unidade de produto comprado caso o valor de mercado esteja abaixo deste mínimo. Se o valor de mercado estiver acima do mínimo, deve-se então pagar o preço de mercado, garantindo desta forma que o produtor jamais será alvo de especulação.

Este preço mínimo estipulado pela FLO visa suprir não apenas os custos de produção ou a margem de lucro dos investimentos, mas também, visa garantir um preço através do qual seja possível garantir a estabilidade econômica e financeira das famílias produtoras. Além do preço mínimo, é ainda estipulado um prêmio (Premium) a ser pago ao produtor por unidade de produto comprado (lb, sacas, quilo...), o qual deve ser investido pelo produtor na comunidade onde ele se localiza.

Segundo dados da própria organização, até o final de 2006 eram 569 organizações de produtores certificados em mais de 57 países para suprir um consumo que só naquele ano rendeu mais de seiscentos milhões de euros, representando um crescimento de 42% com relação ao ano anterior.

Os produtos que fazem parte da certificação fairtrade são: banana, cacau, café, algodão, flores, frutas frescas, mel, sucos, nozes e oleaginosas, arroz, ervas aromáticas e especiais, açúcar, chá, vinho, entre outros.

Arquivado em: Ética, Economia