Setor Secundário

O Setor Secundário inclui os setores da economia que transformam produtos, como indústrias e construção. Este setor geralmente pega os produtos provindos do Setor Primário e os transformam, ao ponto de servirem para serem usados para outros negócios, exportados ou para serem consumidos por consumidores domésticos. É dividido em indústria leve ou pesada. Muitas destas indústrias consomem enormes quantidades de energia, pois requerem maquinaria pesada para converterem materiais brutos em produtos acabados. Também produzem muito resíduos, que podem ser tóxicos e causar danos ao meio ambiente.

Muitos economistas dizem que o bem estar da produção é a ligação entre este e o setor de serviços, que tem que estar bem também para consumir os produtos fabricados. O setor Secundário é também muito importante para promover o acréscimo da economia em países em desenvolvimento. Em países desenvolvidos, é fundamental por ser uma fonte de bons empregos, e também por facilitar grande mobilidade social para sucessivas gerações. Suas principais divisões são:

  • Fábricas aeroespaciais;
  • Fábricas automobilísticas;
  • Indústria cervejeira;
  • Indústria química;
  • Fábricas de confecções;
  • Indústria de eletrônicos;
  • Indústria de maquinaria;
  • Indústria de energia, como petróleo, gás e energia elétrica;
  • Indústria de aço;
  • Desenvolvimento de softwares;
  • Indústria de telecomunicações;
  • Indústria de cigarros.

No Brasil, o Setor Secundário foi iniciado tardiamente. Somente após a Segunda Guerra é que foram feitos os primeiros esforços para a substituição das importações. Na época da Ditadura, o Brasil passa pelo ”Milagre econômico” (1968-1974), no qual foram feitos grandes investimentos em infra-estrutura. A partir da década de 80, por causa de sucessivas recessões, o Setor Secundário perde força e perde participação no PIB para o Setor de serviços.

Arquivado em: Economia