Alberto de Oliveira

Por Cristiana Gomes
Alberto de Oliveira fez parte do estilo de época chamado Parnasianismo e juntamente com Olavo Bilac e Raimundo Correia participou da Tríade Parnasiana.

Foi um poeta tipicamente parnasiano, embora tenha presenciado várias transformações na política e na sociedade, mudanças que não influenciaram seu estilo literário.

Características de suas obras

- Perfeição formal
- Métrica rígida
- Linguagem rebuscada e trabalhada

Alberto de Oliveira revela algumas características românticas, porém estava longe dos excessos sentimentais do Romantismo.

Obras

- Canções Românticas (1878)
- Meridionais (1884)
- Sonetos e Poemas (1885)
- Versos e Rimas (1895)
- Poesias

VASO CHINÊS

Estranho mimo aquele vaso! Vi-o,
Casualmente, uma vez, de um perfumado
Contador sobre o mármor luzidio,
Entre um leque e o começo de um bordado.
Fino artista chinês, enamorado,
Nele pusera o coração doentio
Em rubras flores de um sutil lavrado,
Na tinta ardente, de um calor sombrio.
Mas, talvez por contraste à desventura,
Quem o sabe?... de um velho mandarim
Também lá estava a singular figura.
Que arte em pintá-la! A gente acaso vendo-a,
Sentia um não sei quê com aquele chim
De olhos cortados à feição de amêndoa.

VASO GREGO

Esta de áureos relevos, trabalhada
De divas mãos, brilhante copa, um dia,
Já de aos deuses servir como cansada,
Vinda do Olimpo, a um novo deus servia.

Era o poeta de Teos que o suspendia
Então, e, ora repleta ora esvasada,
A taça amiga aos dedos seus tinia,
Toda de roxas pétalas colmada.

Depois... Mas, o lavor da taça admira,
Toca-a, e do ouvido aproximando-a, às bordas
Finas hás de lhe ouvir, canora e doce,

Ignota voz, qual se da antiga lira
Fosse a encantada música das cordas,
Qual se essa voz de Anacreonte fosse.

Antonio Mariano Alberto de Oliveira nasceu em 28 de abril de 1857 em Saquarema (RJ).

Abandonou o curso de Medicina no terceiro ano e foi estudar Farmácia tendo se formado em 1883. Também foi professor de Literatura Brasileira e um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras.

Alberto de Oliveira é considerado “O Príncipe dos Poetas Brasileiros”, na verdade, ele ficou com este título, que antes havia sido de Olavo Bilac.

O Segundo Príncipe dos poetas Brasileiros, como afirmam alguns estudiosos, faleceu em 19 de janeiro de 1937, em Niterói (RJ).