Jogos Olímpicos da Antiguidade

Pós-graduação lato sensu em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero, 2014)
Graduação em Educação Física (Complexo Educacional FMU, 2007)

Apesar de sua essência mitológica permanecer viva, traduzindo a amizade e união pelo esporte, a Olimpíada sofreu mudanças ao longo dos anos. Nasceu no ano de 776 a.C. como uma espécie de treinamento para os soldados.

As disputas estavam diretamente ligadas as atividades de guerra, eram uma preparação aos combates. Um exemplo é a ginástica artística, o esporte possui uma modalidade chamada cavalo com alças, tinha como finalidade adquirir maior habilidade ao cavalgar.

Dentre os esportes praticados na época, a corrida foi a pioneira. As provas aconteciam em linha reta dentro do estádio e eram divididas em três distintas. Estádio, a primeira delas, correspondia a uma volta, diaulo, duas voltas e a dólico, corrida considerada de longa distância aproximadamente 20 vezes o comprimento do estádio.

Compondo as disputas de combate, a luta livre, denominada atualmente de luta greco-romana, trazia como objetivo derrubar por três vezes o oponente, e somente quando o competidor reconhecia a derrota, o embate finalizava. Um pouco diferente no boxe, onde os atletas utilizavam couro para proteger as mãos e não para aliviar o sofrimento do adversário, mais tarde introduziram pedaços de metal, o que tornava o esporte muito violento. Porém não mais que o pancrácio, uma junção da luta com o boxe, modalidade que poderia levar a morte de um deles, as únicas práticas não permitidas eram mordidas e arrancar um dos olhos.

Unindo cinco modalidades diferentes, o pentatlo, muito similar ao presente, era composto por corrida, salto em distância, lançamento de disco, dardo e luta. Todas finalizadas no mesmo dia, a corrida abria as disputas enquanto a luta encerrava. No salto em distância não se praticava corrida para ajudar no impulso, utilizava-se pesos nas mãos que eram arremessados a frente durante a execução.

Algumas provas eram realizadas fora do estádio, no hipódromo, como a corrida de bigas, que consistia em carros puxados a princípio por quatro cavalos, depois diminuiu para dois. Posteriormente inseriram a corrida de cavalos, com cavaleiros montados nos animais.

Homens livres, gregos e sem registro de crime eram autorizados a competirem e tinham como obrigatoriedade estarem nus durante os embates. Há várias suposições para esse fato, uma delas seria o clima quente de Olímpia. Outra hipótese é de um atleta chamado Orsipos, que durante sua prova percebeu que poderia adquirir melhor desempenho retirando suas roupas. E ainda, a teoria de que as mulheres não infringiriam as regras, como não podiam participar, não haveria a possibilidade de se passarem por homens.

Começavam a preparar os locais da competição com um ano de antecedência, por meio dos juízes, que acumulavam as funções de organizar o evento e verificar quem estava apto a competir. Esse processo de seleção, semelhante ao utilizado atualmente, os atletas intensificavam sua preparação para garantir a vaga após o anúncio da trégua aos combates.

O evento era marcado com muita festa, comida e bebidas. Uma oferenda aos deuses e um desfile dos competidores compunham o início dos jogos. Somente no último dia de provas, os vencedores recebiam seus prêmios em clima de comemoração.

Após mudar suas crenças para o cristianismo, Teodósio I, imperador romano, anulou todas as tradições gregas no ano de 393 d.C., pondo fim a Era Antiga dos Jogos Olímpicos. Uma época que consagrou o nome de Leônidas de Rhodes, atleta que garantiu 12 triunfos consecutivos nas três provas de corrida, estádio, diaulo e dólico, durante os anos de 164 e 152 a.C., ficou considerado um mito no esporte.

Referências bibliográficas:
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/verdade-olimpica-como-surgiram-jogos-grecia-antiga-435358.shtml
http://oglobo.globo.com/esportes/historia-dos-jogos-olimpicos-da-antiguidade-berlim-1936-19376961
http://opiniaoenoticia.com.br/cultura/os-jogos-olimpicos-da-antiguidade/

Arquivado em: Esportes