Antiácidos

Por Débora Carvalho Meldau
Os antiácidos são medicamentos que aumentam o pH gástrico, neutralizando o ácido clorídrico (HCl) liberado pelas células gástricas (células parietais). São amplamente empregados na medicina humana (automedicação). O autodiagnóstico com subsequente automedicação é perigoso, uma vez que o problema pode resultar em uma úlcera péptica ou uma neoplasia estomacal.

Este grupo de fármacos pode ser dividido em dois grupos: sistêmicos e não sistêmicos. Os primeiros podem ser absorvidos no trato digestivo e exercer este efeito no organismo do indivíduo, ao passo que aqueles não-sistêmicos exercem seu efeito essencialmente no estômago.

Dentre os antiácidos não-sistêmicos, os mais utilizados são os sais de magnésio, cálcio e alumínio:

  • Magnésio e Alumínio: os antiácidos compostos por sais de alumínio e de magnésio em associação podem parecer ideais, pois um componente completa o outro. O hidróxido de alumínio dissolve-se vagarosamente no estômago e desempenha seu papel, gradativamente, causando um alívio prolongado. Já os sais de magnésio agem rapidamente, neutralizando os ácidos com eficácia. Os fármacos que contêm ambos os componentes causam alívio rápido e prolongado.
  • Carbonato de cálcio: este foi o principal antiácido por muito tempo. Atua rapidamente, neutralizando os ácidos por um tempo significativo. Outro ponto positivo, é que esta é uma fonte econômica de cálcio. Todavia, um indivíduo pode sofrer com sobrecarga desse mineral, uma vez que a quantidade máxima diária não deve superar 2000 mg, a não ser quando há recomendação médica.
  • Bicarbonato de sódio: este foi utilizado durante décadas como neutralizante da acidez. Este é uma ótima solução, a curto prazo, para a má digestão. Contudo, seu uso demasiado pode provocar quebra do equilíbrio ácido-base do organismo, resultando em uma alcalose matebólica. Seu alto conteúdo de sódio também pode levar a problemas em indivíduos com insuficiência cardíaca e hipertensão.

Além da propriedade antiácida, alguns destes agentes apresentam características farmacológicas úteis. Deste modo, alguns sais de magnésio e de alumínio exercem também efeito demulcente e adsorvente. Os sais de magnésio têm ainda efeito laxante, enquanto os sais de alumínio são constipantes; sendo assim, é comum encontrar associações entre ambos os fármacos, visando minimizar estes efeitos colaterais.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Antiácido
http://www.manualmerck.net/?id=39&cn=598
Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária – Helenice de Souza Spinosa, Silvana Lima Górniak e Maria Martha Bernardi; 4° edição. Editora Guanabara Koogan, 2006.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.