Filosofia pré-socrática

Mestre em Filosofia (UFPR, 2013)
Bacharel em Filosofia (UFPR, 2010)

Como o nome implica, os filósofos pré-socráticos, cuja linhagem inicia em torno do século VI a.C. Na Grécia Antiga, são aqueles que surgiram antes do desenvolvimento dos trabalhos de Sócrates, mestre de Platão. Estes filósofos não apenas são agrupados por uma data, mas por uma linha de desenvolvimento de seu trabalho, esta linha de pensamento, ou corrente filosófica, é frequentemente referida como Filosofia Pré-Socrática.

De fato, alguns filósofos da corrente pré-socrática são contemporâneos e até mesmo posteriores a Sócrates, a divisão se dá na medida em que Sócrates, pelo que nos dá a conhecer Platão, alterou o curso da filosofia em uma direção mais voltada para a ética e a política.

Iniciando com Tales de Mileto, a quem Aristóteles considerou o primeiro filósofo, os pré-socráticos foram os responsáveis pela primeira empreitada no sentido de afastar a explicação da natureza da visão mítica de mundo, aquela que considerava que por traz de todos os fenômenos naturais haviam causas sobrenaturais, oriundas dos deuses, heróis e outros elementos. O principal objetivo destes filósofos e sua corrente era entender o universo e os fenômenos da natureza, a partir dos elementos que a própria natureza nos dava a conhecer, eliminando assim a necessidade de recorrer a explicações sobrenaturais.

Por esta razão, considera-se que a filosofia pré-socrática foi a responsável pelo surgimento não apenas da filosofia como a conhecemos hoje, mas também das ciências naturais, considerando que o trabalho do filósofo era o estudo e observação da natureza.

Com o foco no cosmos, e muitas vezes buscando explicar a origem do nosso universo, estes filósofos entendiam a arche, ou natureza dos objetos, não apenas como um princípio, algo anterior, mas como algo que lhes é originador. Diferentes filósofos entenderam diferentes elementos como cumprindo este papel, Tales, por exemplo, acreditava que tudo se originava da água, enquanto Anaximandro desenvolveu o conceito de ápeiron, o ilimitado e indefinido, como a origem de todos os objetos no mundo. Destes, por composição ou dissolução, os objetos do mundo tomariam suas propriedades.

Posteriormente, o foco da escola mudou do cosmos como um todo para o homem, mas ainda com uma abordagem de observação e estudo da natureza e suas leis.

A maior parte do conhecimento que hoje temos acerca da filosofia pré-socrática é derivada dos trabalhos de Platão, Aristóteles e alguns historiadores gregos, estes tiveram acesso tanto aos trabalhos publicados dos filósofos desta corrente, quanto aos próprios filósofos ou seus discípulos, apenas fragmentos dos trabalhos publicados sobreviveram até o nosso tempo.

Embora não seja um lista exaustiva ou unânime, nesta corrente destacam-se os seguintes filósofos e escolas:

  • Tales de Mileto, Anaxímenes, Anaximandro e Heráclito, que constituem a chamada Escola Jônica, estes filósofos, embora tenham relações de proximidade, inclusive como mestre e discípulo, divergiam em muitos aspectos, a ponto de alguns estudiosos não os considerarem como membros de uma mesma escola, Aristóteles no entanto os classifica como physiologoi, ou "aqueles que discursavam sobre a natureza", já que seu principal trabalho era explicar a natureza da matéria.
  • Empédocles de Agrigento, Anaxágoras de Clazômena, Leucipo e Demócrito de Abdera, da Escola da Pluralidade, uma escola de medicina focada nos pontos mais prováveis de cada escola.
  • Pitágoras, Filolau e Árquitas, constituem a Escola Itálica, embora sejam dos mais importantes para o desenvolvimento da matemática grega, manifestavam ao mesmo tempo tendências místico-religiosas e científicas.
  • Arquelau e Diógenes, da Escola Eclética, que propunha a existência de várias arche, para resolver as questões relativas ao movimento.
  • Xenófanes, Parmênides de Eleia, Zenão de Eleia e Melisso de Samos, considerados parte da Escola Eleática, cujo fundamento era unidade, imutabilidade e necessidade do Ser.

Referências bibliográficas:
BUCKINGHAM, Will; at all. O Livro da Filosofia. Editora Globo. São Paulo, 2011.

SMITH, William. "Philola'us". Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology. ed. (1870).

SPINELLI, Miguel. Filósofos Pré-Socráticos. Primeiros Mestres da Filosofia e da Ciência Grega. 2ª Ed., Porto Alegre: Edipucrs, 2003

SPINELLI, Miguel. Questões Fundamentais da Filosofia Grega. São Paulo. Loyola, 2006, p. 278ss.

Arquivado em: Filosofia