Primeiro Mundo

Por Caroline Faria
Primeiro Mundo” é uma expressão atualmente usada para designar os países desenvolvidos em contraposição às expressões “segundo mundo” e “terceiro mundo”.

Surgida nos tempos da Guerra Fria, no que ficaria conhecido como “Teoria dos Mundos”, a denominação, a princípio designava os países capitalistas enquanto que o “segundo mundo” seriam os países comunistas e o “terceiro mundo” os países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos que não tomaram parte direta no conflito (“em cima do muro”).

Finda a Guerra Fria, a expressão tomou outro sentido um pouco diferente e passou a designar todos os países de economia desenvolvida e com indicadores sociais excelentes.

Estão incluídos nesta lista segundo o FMI (Fundo Monetário Internacional) os Estados Unidos da América, Canadá, Alemanha, Eslovênia, Israel, Países Baixos, Andorra, Espanha, Itália, Portugal, Austrália, Japão, Reino Unido, São Marino, Liechtenstein, Finlândia, Bélgica, França, Luxemburgo, Singapura, Suécia, Mônaco, Grécia, Chipre, Coréia do Sul, Irlanda, Noruega, Suíça, Taiwan, Nova Zelândia, Islândia, Dinamarca. Vez ou outra a expressão pode ser utilizada para designar os países do G8, mas, neste caso irá incorporar bem menos países do que em sua nova definição.

Alguns países, como se pode notar, não faziam parte do grupo do “primeiro mundo” de acordo com a primeira denominação, durante a Guerra Fria. Mas com a mudança de significado do termo o número de países considerados do “primeiro mundo” aumentou.

Todas as nações citadas como de “primeiro mundo” possuem a característica de serem altamente consumistas e possuir tecnologias de ponta e em grande quantidade. O consumismo justifica-se pelo alto poder aquisitivo destas sociedades, a maioria de economia predominantemente industrial.

Seus governos são majoritariamente democráticos, seja do tipo monarquia constitucional como em Luxemburgo, ou república presidencialista como nos EUA.

Outra característica importante destes países é que eles possuem uma economia diversificada produzindo diversos tipos de bens (com exceção de alguns de menor porte ou desenvolvimento mais recente, a exemplo de Chipre que depende basicamente do turismo). Geralmente investem alto em desenvolvimento tecnológico e científico, além de contar com modernos meios de transporte e educação e ter uma população urbana bem maior que a população rural.

Dentre os países de “primeiro mundo” àqueles de maior poder econômico são: EUA, Canadá, Japão, França, Alemanha, Itália e Reino Unido.