Transumância

Recebe o nome de transumância o movimento sazonal de pessoas com seus animais (rebanho) da planície para as montanhas e vice-versa, entre dois regimes de clima diferente. O termo é originário do latim, e combina as palavras "trans", que significa além, ou através, e "humus" equivalente a solo, terreno, pastagem.

No Brasil, o termo não é muito popular, e está restrita mais aos círculos de estudo científico, sendo mais utilizada a denominação invernada. No sul, a prática é parte do trabalho do gaúcho. No pantanal, os vaqueiros realizam a transferência do gado das áreas que serão alagadas por volta de janeiro, levando-o para as terras secas.

A prática por parte do ser humano de conduzir tais rebanhos recebe o nome de pastoreio. A transumância tradicional ou fixa ocorre ou ocorreu em praticamente todo o mundo habitado. Os produtos lácteos de rebanhos e manadas de transumância são de grande importância para as sociedades pastoris (leite, manteiga, iogurte e queijo) muitas vezes formando grande parte da dieta dessas populações.

O termo transumância também é ocasionalmente usada para o pastoreio nômade - migração de pessoas e animais em longas distâncias. Tal prática se desenvolveu em todos os continentes habitados, e embora existam importantes variações culturais e tecnológicas, as práticas relacionadas ao aproveitamento sazonal de pastagens remotas são semelhantes.

A transumância tem raízes no período neolítico, onde, uma vez conseguida a domesticação, o ser humano orienta a guarda, criação e reprodução de animais recorrendo a técnicas adequadas, aproveitando os pastos com o objetivo de obter do gado diversos produtos.

Assim, há milhares de anos, em movimentos naturais e sazonais, gados herbívoros abandonam o território de origem para se alimentarem de pastos frescos em solos de outras zonas. As leis do Império Romano reconheciam a transumância e protegiam as vias pastoris, as quais incluíam os locais convenientes para a alimentação dos rebanhos. Na Idade Média, em especial no século XII, os europeus praticam a atividade pastoril em volume nunca antes visto.

A atividade da transumância se apresenta sob três formas:

  • transumância estival, ou ascendente, caracterizada pela deslocação dos rebanhos da planície até os planaltos serranos onde abundam pastos verdejantes durante o verão;
  • transumância invernal, ou descendente, que acontece no inverno, devido à escassez de pastos, motivada pelas condições desfavoráveis do clima, onde os rebanhos descem da serra para pastos em regiões temperadas.
  • transumância pernal, que consiste numa forma de reagrupamento do rebanho por conta própria para buscar uma maior procriação.

Bibliografia:
OLIVEIRA, Américo; SILVA, Filomeno. Transumância. Disponível em: <http://www.ipv.pt/millenium/pers13_1.htm>.  Acesso em: 23 dez. 2012.
Transhumance (em inglês). Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Transhumance>. Acesso em: 23 dez. 2012.

Arquivado em: Geografia