Tundra

Por Caroline Faria
A Tundra é o último bioma antes do frio congelante do inóspito Ártico onde apenas pequenas vegetações se desenvolvem.

Tundra alpina. Foto: Robert Cicchetti / Shutterstock.com

Tundra alpina. Foto: Robert Cicchetti / Shutterstock.com

Por vezes a Tundra é classificada em dois tipos diferentes: a tundra alpina, encontrada no alto de montanhas em diversos países e que difere da tundra ártica pelo tipo de solo bastante permeável.

A tundra ártica é encontrada em regiões muito frias onde a temperatura não ultrapassa os -6ºC. Na maior parte do ano, a tundra permanece congelada, completamente coberta de neve. Por isso suas plantas, basicamente líquens (associação de fungos e algas) e algumas poucas herbáceas, tem pouco tempo para se desenvolver, formando uma vegetação esparsa que divide o cenário com lamaçais e rochas no curto período de “verão” (época em que a temperatura sobe e varia entre -6 ºC e -10 ºC).

O solo da tundra é chamado de permafrost, que em uma tradução literal significa “sempre congelado”, e é justamente essa característica que dá a tundra suas feições naturais.

O permafrost é um solo típico das regiões antárticas composto por terra, pedras e gelo. Sua profundidade pode alcançar até mais de 1 metro e ele é totalmente impermeável o que faz com que surjam áreas lamacentas no verão quando a camada de gelo superficial, que pode chegar a 300 metros em alguns lugares, derrete.

O fato do solo estar totalmente congelado à uma certa profundidade não permite o desenvolvimento das raízes das plantas e, mesmo que estas conseguissem quebrar o permafrost não haveria água suficiente, pois toda a água está em estado sólido. Estas características do solo aliadas aos ventos fortíssimos e um inverno muito longo (o verão dura apenas dois meses), não permitem a existência de uma vegetação mais alta.

Mesmo assim, a tundra é essencial para a manutenção de muitas espécies como os bois almiscarados que quase foram extintos, e hoje ocupam regiões do Canadá, Alaska e algumas regiões da Europa, lebres árticas, lemingues (roedores encontrados na Europa, Rússia, Mongólia e América do Norte), renas, caribus, arminhos, raposas árticas, lobos, corujas-das-neves, perdizes-das-neves, entre outros. Tanto quanto as plantas, os animais da tundra desenvolveram mecanismos para resistir ao frio intenso como migrar para regiões mais quentes durante o inverno ou hibernar.