Caverna

Por Emerson Santiago
A caverna é um espaço subterrâneo inóspito mas dotado de oxigênio, amplo o suficiente para ser examinado e estudado pelo homem, em especial pelas suas peculiares formações e pelas diferenciadas formas de vida contidas nestes espaços. São várias as classificações de cavernas:

  • pelo tipo de rocha que esta contém;
  • pela morfologia e estrutura geométrica: cavernas horizontais; cavernas de fissura; cavernas verticais.
  • pelo tempo em que se constituíram, em relação à formação das rochas - cavernas primárias, secundárias e terciárias, resultado do colapso de outras cavernas.
  • pela maneira como foram formadas: grutas ou cavernas solucionais Karst; grutas de lava ou tubos de lava (exemplo: Caverna Hana); cavernas de tufa (exemplo: Caverna Olga); cavernas marítimas, criadas pela erosão das ondas (exemplo: Caverna Leão do Mar); cavernas talus, derivadas do deslizamento de enormes penhascos que criam grandes câmaras espaçosas dentro dos escombros (exemplo: Cavernas do Parque Polar); cavernas sísmicas: formada pela falha da rocha (exemplo: Cavernas Seneca); cavernas de geleira: derivada da água de derretimento das geleiras, formadas dentro destas; tubos de solo: em áreas desérticas, as enchentes podem se mover através do solo e para fora. Exemplos podem ser encontrados no deserto de Mohave, na Califórnia.
  • pela idade da pedra: classificação empregada para cavernas de pedra calcária. O calcário é uma rocha sedimentar caracterizada pelo momento em que foi formado. As formações mais comuns são: calcário recente ou tufa; calcário jurássico; calcário devoniano;

No Brasil, os espeleologistas destacam os estados de Minas Gerais e São Paulo, pois ambos reúnem a maior e mais importante concentração de cavernas. Na região central de Minas, próxima a Belo Horizonte, o referencial é a Gruta do Maquiné. No município de Mariana, 120 km de Belo Horizonte, novas explorações na Gruta do Centenário, conhecida desde o início do século, fizeram desta a segunda mais profunda caverna do Brasil, com 481 metros de desnível. No noroeste de Minas, à margem esquerda do Rio São Francisco, se encontra o conjunto de cavernas e sítios arqueológicos da Gruta do Janelão (MG-199). Ao sul do estado de São Paulo está o PETAR (Parque Estadual e Turístico do Alto Ribeira), com mais de 200 cavernas entre as quais destacam-se a de Sant'Anna (SP-041, com o salão Taqueupa), Morro Preto (SP-021), Casa de Pedra (SP-009), com o maior pórtico do mundo (230 metros), Ouro Grosso (SP-054), Água Suja (SP-025) entre outras.

Região Nordeste - Nesta região, destaca-se o estado da Bahia. A formação mais importante é a Toca da Boa Vista (BA-082), com 92.100 m topografados que a colocam como a maior caverna do Hemisfério Sul e 13ª do mundo. Outras: Bom Jesus da Lapa (BA-046), às margens do rio São Francisco; Brejões (BA- 001); Gruta do Padre (BA-052), a terceira maior do Brasil.

Também merece referência a Chapada Diamantina, uma área de 87.000 km² no coração da Bahia, transformada em Parque Nacional. No Piauí, o Parque Nacional da Serra da Capivara é um dos mais importantes sítios arqueológicos da América, local onde foi encontrado vestígios de presença humana com mais de 50 mil anos de idade. No Ceará, a Gruta de Ubajara (CE-001) é a atração numa região montanhosa recoberta de densas matas tropicais, rios e cascatas.

Região Centro-Oeste - No Mato Grosso do Sul, a principal referência é o município de Bonito, encravado na Serra da Bodoquena, no limite sul do Pantanal, com sua Gruta do Lago Azul (MS-002). No Mato Grosso, encontramos as cavernas da Chapada dos Guimarães, em rocha arenítica e quartzítica, palco da manifestação da arte pré-histórica do Brasil. No nordeste de Goiás, a 457 km de Brasília encontra-se o principal conjunto cárstico de toda a região Centro-Oeste, com grutas enormes rasgadas por rios caudalosos, onde ainda há muito a ser descoberto e explorado.

Região Norte - A região é uma nova fronteira para a espeleologia, em especial o Estado do Pará, particularmente a Serra dos Carajás e Serra das Andorinhas, além do Estado do Amazônas com as cavernas turísticas de Presidente Figueiredo e o Abismo Guy Collet (AM-003), em Barcelos, a mais profunda caverna do emisfério Sul e a mais profunda do mundo em quartizito, com 670 metros de desnível.

Região Sul - Entre os três estados, o Paraná se destaca pela presença de duas centenas de cavernas, sendo a principal a Gruta da Lancinhas (PR-006). Também merecem citação as Grutas de Bacaetava, do Varzeão e o conjunto Jesuítas/Fadas, no Parque Estadual de Campinhos e as Cavernas de Botuverá em Santa Catarina.

Bibliografia:
DUCKECK, Jochen. Classification of Caves (em inglês). Disponível em http://www.showcaves.com/english/explain/Speleology/Classification.html . Acesso em: 20 nov. 2011.

Cavernas do Brasil. Disponível em. Acesso em http://www.cavernas.org.br/cavernas.asp: 20 nov. 2011.

Foto: http://www.uwec.edu/jolhm/eh/below/Matt%20Below%20-%20GEOG%20361-WHAT%20IS%20KARST.htm