Cordilheira dos Andes

Por Emerson Santiago
Cordilheira dos Andes é a mais extensa cordilheira continental do globo terrestre. Trata-se de uma conjunto contínuo de montanhas que margeiam quase a totalidade da costa ocidental da América do Sul. Sua extensão cobre mais de 7000 km, sendo que a largura da cadeia varia de 200 a 700 km, além de alcançar um altitude que em média atinge cerca de 4000 m.

A Cordilheira dos Andes estende-se de norte ao sul da América do Sul.

Com esta notável extensão, os Andes obviamente ocupam o território de diversos países, sete ao todo: Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Chile e Argentina. Seu ponto mais alto é o pico do Aconcágua, situado em território argentino, que atinge 6962 m de altitude.

Toda a cadeia andina apresenta rigorosas condições climáticas, tanto para o homem como os animais que fazem da área seu lar. Seus habitantes precisaram vencer obstáculos os mais diversos para estabelecer uma condição sustentável de vida nos Andes, sendo o principal dos desafios a escassez de oxigênio. Os nativos quechuas (modernos descendentes dos originais habitantes da região, os Incas) possuem o coração de maior tamanho que outro ser humano de outra área qualquer, permitindo-lhes assim oxigenar plenamente seu organismo e manter uma circulação sanguínea que permite a sua sobrevivência sob condições inóspitas.

As plantas e os animais andinos, por sua vez, desenvolveram seus próprios recursos de adaptação, também muito eficientes. Um bom exemplo a ser mencionado é o do "ichu", um capim que se encontra em quase toda a cordilheira, sendo típico da vegetação andina, além de contar com fortes raízes que permitem a absorção de pouca quantidade de água do solo, além de possuir a característica de se fixar fortemente a este para resistir à força dos ventos.

A fauna típica encontrada nos Andes consiste principalmente da lhama, da alpaca, do guanaco e da vicunha, mamíferos pertencentes à família do camelo. Os dois primeiros já eram empregados amplamente pelos nativos andinos, atuando como animais de carga e suprimento de carne e lã, remontando tal prática a épocas bem distantes na cronologia do Império Inca. Estes animais são de uma grande resistência física, sendo que no Peru e na Bolívia as lhamas do altiplano vivem em altitudes superiores a 4.000 metros. Encontram-se hoje grandes rebanhos de lhamas e alpacas, que são facilmente domesticáveis. No caso da vicunha, porém, esta sofre pela ameaça uma possível extinção: é um animal arisco que vem sendo perseguido pelos caçadores devido a qualidade de sua lã, uma das mais apreciadas em todo mundo.

No passado, os Andes foram o lar de civilizações bastante avançadas, como por exemplo as civilizações Chavin e Chimu, que em determinados aspectos excediam o nível de conhecimento dos colonizadores europeus recém chegados ao continente americano. Tais culturas antigas construíram misteriosas cidades, como Tiwanaku, que impressionam o visitante com a majestade de seus templos, palácios e pirâmides.