Rochas Magmáticas

Por Emerson Santiago
Rochas magmáticas, também conhecidas como ígneas, são aquelas originárias no interior da Terra, produto da solidificação do magma pastoso. O magma é composto de uma substância fluida, de fundição parcial ou total, formada por uma fusão completa de silicatos, silícios e elementos voláteis, como por exemplo , vapor d´água, cloretos, hidrogênio, flúor e outros. Tal tipo de rocha é muito resistente, e também das mais antigas, matéria prima do embasamento rochoso dos continentes.

Granito, uma rocha magmática. Foto: Gyvafoto / Shutterstock.com

Granito, uma rocha magmática. Foto: Gyvafoto / Shutterstock.com

Entre as mais abundantes rochas magmáticas temos o granito e o diabásio. Parte dessas rochas formam-se toda vez que ocorrem erupções vulcânicas que expelem lava pela superfície, renovando assim a quantidade das mesmas no ambiente.

Este tipo de rocha pode se solidificar tanto quando atinge a superfície ou quando ainda está no interior da Terra. Por esse mesmo motivo, podemos classificá-las em rochas intrusivas ou extrusivas.

As rochas extrusivas ou vulcânicas formam-se a partir da expulsão do magma devido às erupções vulcânicas, tendo um rápido resfriamento ao atingir a superfície, passando do estado líquido ou gasoso num pequeno intervalo de tempo. Por causa desse mesmo processo, sua estrutura será vítrea, como consequência do pequeno intervalo de tempo que impossibilita a cristalização dos minerais. Exemplos de rochas magmáticas extrusivas são o basalto e a obsidiana.

As rochas intrusivas ou plutônicas são resultado de um lento resfriamento do magma, originárias de regiões profundas no subsolo, dando origem a cristais. Exemplos de rochas magmáticas são o granito e o diorito.

Recebem a denominação de pegmatitos as rochas originadas de um magma que tenha grandes quantidades de gases e elementos voláteis. Em tais condições o magma surge numa forma bem fluida possibilitando a formação de cristais cuja dimensão chega a ser considerável.

Podemos ainda classificar as rochas magmáticas ácidas, básicas ou neutras. Tal diferenciação relaciona-se diretamente com o teor de silício que a rocha apresenta na sua composição. A rocha será ácida quando esta possuir teores de silício acima de 65%, ocorrendo assim a formação de silicato e de cristais de quartzo. As rochas neutras serão formadas quando o teor de silício vai de 52 a 65%. Finalmente, nas rochas básicas teremos um teor de silício que varia entre 45 e 52%, sem ocorrer a formação de quartzo.

Certos autores consideram as rochas filonianas ou abissais como uma espécie intermediária entre as magmáticas vulcânicas e plutônicas. Tais rochas não chegam a atingir a superfície e frequentemente preenchem as fissuras existentes na crosta terrestre ao consolidarem-se. Temos como exemplos deste tipo intermediário os aplitos, os pegmatitos e os lamprófiros.

Bibliografia:
http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/cienciasnaturais/9rochas.htm
http://www.algosobre.com.br/geografia/rochas-magmaticas.html