Triássico

Doutorado em Geociências (USP, 2015)
Mestrado em Geologia Sedimentar (UNISINOS, 2008)
Graduação em Ciências Biológicas (UNISINOS, 2006)

O período Triássico (“tri” = três) é o período de tempo correspondente a 250 a 199 milhões de anos atrás, sendo o primeiro período da Era Mesozóica. Foi nomeado assim para definir o conjunto de três camadas vermelhas e sequenciais de rochas distintas encontradas em toda Alemanha, onde foram nomeados.

O Triássico inicia após a primeira grande extinção em massa, o que deixou a biosfera pobre em biodiversidade, levando muito tempo para a Terra se recuperar dessa crise. Lentamente, durante esse período, novas faunas e floras foram surgindo, repovoando o planeta após essa mega extinção que ocorreu no final do período Permiano. As plantas gimnospermas iniciam o domínio dos continentes, assim como os répteis. Surgiram os primeiros dinossauros, bem como os mamíferos ovíparos.

Fauna e flora Triássica. Ilustração: qpiii / Shutterstock.com

O clima caracterizava-se pela aridez no interior do megacontinente Pangeia, quente e seco, originando grandes desertos arenosos, o que gerou os depósitos de arenito, caracterizados pela sua coloração avermelhada. No final do Triássico (a aproximadamente 200 m.a.), o Pangeia iniciou sua fragmentação, desencadeada por um extenso episódio de vulcanismo, que ficou registrado na forma de rochas basálticas, encontradas principalmente no sul e sudeste do Brasil, e na África, recobrindo os arenitos avermelhados característicos do Triássico. A separação do Pangeia formaria dois novos continentes no período Jurássico, a Laurásia a norte, e o Gondwana a sul.

A posição dos continentes durante o Período Triássico. Ilustração: Mila Kananovych / Shutterstock.com

Ainda no final do Triássico, ocorreu a “extinção do Triássico-Jurássico”, onde cerca de 20% das famílias marinhas, dos arcossauros (exceto os dinossauros) e dos grandes anfíbios foram extintos. As causas dessa extinção possuem várias teorias, porém, nenhuma delas definida. Entre elas destacam-se: variação no clima e no nível do mar, desencadeadas pelo início da separação dos continentes, impacto de um asteroide, erupções vulcânicas em massa. Essa extinção foi determinante para a evolução das espécies, sendo que foi o que permitiu que os dinossauros desempenhassem um papel dominante no período Jurássico e Cretáceo.

Referências

1. TEIXEIRA, W.; FAIRCHILD, T.; TOLEDO, M.C.M. & TAIOLI, F. (2007). Decifrando a Terra. 2ª edição, São Paulo, SP; Companhia Editora Nacional, 623p.2. PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J. e JORDAN, T.H. (2013). Para entender a Terra. Tradução R. Menegat (coord.), 6ª edição, Porto Alegre, RS; Bookman, 656p.

Arquivado em: Biologia, Geologia