Gondwana

Doutorado em Geociências (USP, 2015)
Mestrado em Geologia Sedimentar (UNISINOS, 2008)
Graduação em Ciências Biológicas (UNISINOS, 2006)

Gondwana foi um supercontinente que existiu ao sul da linha do Equador, por volta de 200 milhões de anos atrás, durante o Período Triássico, que incluía a junção de terras dos atuais continentes da Antártida, América do Sul, África, Índia, Austrália, Nova Zelândia, Madagascar, Nova Guiné, Nova Caledônia, além das Ilhas Seicheles. O supercontinente de Gondwana se originou da separação com as terras ao norte do Equador, e que deram origem ao supercontinente Laurásia, a partir da fragmentação do megacontinente chamado Pangeia (do grego Pan = todo, Gea = Terra), que significa “todas as terras”, ou “terras unidas”, que existiu há ± 540-200 milhões de anos, do Período Cambriano ao Permiano, durante a Era Paleozóica.

A existência do supercontinente Gondwana foi proposta pelo cientista Alfred Wegener, que baseado na observação das linhas de costa da América do Sul e África, propôs que estes se encaixariam, assim como todos os outros continentes, onde formariam um megacontinente, o Pangeia.

Para confirmar sua teoria, Wegener utilizou de evidências e dados paleontológicos e sedimentológicos, como a presença de fósseis da flora de Glossopteris, fósseis de répteis de Mesossauros, e de evidências da glaciação no período permo-carbonífero, que ocorrem tanto na América do Sul quanto na África, em locais correlacionáveis do ponto de vista sedimentar.

Os supercontinentes de Laurásia e Gondwana, e a direção das placas. Ilustração: Lermot / Shutterstock.com

A fragmentação do Gondwana aconteceu a partir da separação das placas africana e sul-americana, com a ruptura iniciando no sentido sul-norte, e, consequente formação do Oceano Atlântico entre as duas placas, ainda no Período Triássico (±250 a 200 milhões de anos).

Bibliografia

1. TEIXEIRA, W.; FAIRCHILD, T.; TOLEDO, M.C.M. & TAIOLI, F. (2007). Decifrando a Terra. 2ª edição, São Paulo, SP; Companhia Editora Nacional, 623p.
2. PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J. e JORDAN, T.H. (2013). Para entender a Terra. Tradução R. Menegat (coord.), 6ª edição, Porto Alegre, RS; Bookman, 656p.

3. WICANDER, R.; MONROE, J.S. (2009). Fundamentos de Geologia. 1ª edição, São Paulo, SP; Cengage Learning, 507p.

http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas---Rede-Ametista/Canal-Escola/Geologia-4007.html

Arquivado em: Continentes, Geologia