Oceano Atlântico

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

O oceano Atlântico está localizado entre três continentes: América, a leste e Europa e África, a oeste. Este oceano é dividido em duas partes: Atlântico Norte (acima da linha do Equador) e Atlântico Sul (abaixo da linha do Equador).

Localização do Oceano Atlântico. Ilustração: Designua / Shutterstock.com [adaptado]

O Atlântico é considerado um dos mais importantes oceanos para a economia mundial em razão dos grandes fluxos comerciais, ao possuir uma localização favorável entre as maiores potências econômicas da Europa e América do Norte, aonde os maiores fluxos de mercadorias são realizados por meio do transporte marítimo (melhor custo benefício). Além da circulação de mercadorias, pessoas e comunicação (cabos de fibra ótica submarinos), foram encontrados diversas reservas de petróleo e gás natural, fatores importantes na extração e produção de energia.

Considerando os fatores físicos do Oceano Atlântico, é possível reconhece-lo como o segundo maior oceano, com aproximadamente 106 milhões de km², e uma profundidade máxima de 7.750 metros. Suas águas correspondem a 20% da superfície terrestre e a maioria dos rios do planeta deságuam nele, fornecendo grande biodiversidade e favorecendo a pesca marítima.

O Atlântico também foi importante objeto de pesquisa para entender o passado geológico da Terra. Os estudos do solo marítimo possibilitaram afirmar a expansão o assoalho oceânico, corroborando para a teoria da deriva continental e os processos de formação e evolução da tectônica de placas, ou seja, da crosta terrestre. Partindo disso, a grande evidência é a formação da Dorsal meso-oceânica do atlântico – cadeia montanhosa submersa no meio do oceano atlântico. Relacionada a dinâmica da tectônica de placas, a Dorsal é formada através do limite divergente (afastamento) das placas tectônicas Sul-americanas e Africana, e forma um extenso dobramento moderno que se estende de norte a sul ao longo do oceano Atlântico. Os pontos mais altos, ou crista, da dorsal meso-atlântica situam-se entre -3.000 e -1.500 m, no entanto emerge em alguns pontos, formando ilhas: Jan Mayen, Islândia, Açores, Ascensão e Tristão da Cunha.

A partir dessas pesquisas foi possível constatar que, ao afastar-se do cume da dorsal a idade das rochas aumenta tanto para leste como oeste, por esse fator é possível afirmar a expansão do assoalho e a deriva continental. Em conclusão, a partir da movimentação de placas foi possível concluir a fragmentação de um único e grande continente, a Pangeia, nos atuais seis continentes: África, América, Antártica, Ásia, Europa e Oceania. Não diferente, havia um único oceano Pantalassa que, também foi fragmentado, dando origem aos cinco oceanos atuais: Atlântico, Índico, Pacífico, Glacial Ártico e Glacial Antártico, embora os dois últimos não sejam mais considerados como oceanos, e sim como grandes mares.

O Atlântico possui elevada importância histórica, uma vez que sua navegação foi, durante muito tempo, um ponto vital da história da civilização.

Referencial bibliográfico:

http://ufrr.br/lapa/index.php?option=com_content&view=article&id=%2094. Acesso: Dezembro de 2017.

Arquivado em: Hidrografia