Tecido epitelial glandular

O tecido epitelial glandular ou também conhecido somente como tecido glandular possui células especializadas em sintetizar, armazenar e secretar proteínas, lipídeos ou complexos formados por proteínas e carboidratos. Geralmente as substâncias a serem secretadas são armazenadas no interior das células na forma de grânulos de secreção. As secreções produzidas pelas células podem ser serosa, mucosa ou mista. A secreção serosa é aquosa e rica em proteínas, enquanto a mucosa é mais espessa. A secreção mista é composta por partes mucosas e serosas.

O tecido epitelial glandular pode ser classificado de várias formas. Há glândulas unicelulares, quando são formadas por uma única célula como no caso das células caliciformes do intestino delgado, e multicelulares quando são compostas por um conjunto de células que formam agregados com estrutura complexa.

As glândulas multicelulares, ou glândulas propriamente ditas, são formadas através da invaginação de células epiteliais em direção ao tecido conjuntivo com posterior diferenciação. Se, no processo de invaginação, estas células manterem o contato com a superfície do epitélio de origem através de dutos, recebem o nome de glândulas exócrinas. Neste caso, as glândulas secretam seus produtos para a superfície do corpo ou alguma cavidade. São exemplos de glândulas exócrinas as glândulas sudoríparas, lacrimais, mamárias e sebáceas e salivares. As glândulas que não possuem uma conexão através de dutos com a superfície epitelial recebem o nome de glândula endócrina e secretam seu conteúdo na corrente sanguínea como a hipófise, as glândulas da tireóide, paratireóides e adrenais. Existe ainda, as glândulas mistas, encontradas no pâncreas, que possuem porções secretoras exócrinas e endócrinas

As glândulas exócrinas possuem duas porções distintas, uma porção secretora formada pelas células secretoras e uma porção condutora formada pelos dutos excretores. As glândulas simples possuem apenas um duto não ramificado enquanto as compostas possuem dutos ramificados. De acordo com a organização celular da parte secretora das glândulas exócrinas podemos classifica-las em tubulares (quando a parte secretora apresenta a forma de tubo), tubulares enoveladas, tubulares ramificadas e acinosas (quando a parte secretora apresenta-se de forma esférica).

As glândulas ainda podem ser classificadas pela maneira como a secreção é eliminada em meróclinas, holócrinas e apócrinas. As glândulas merócrinas, encontradas no pâncreas, por exemplo, eliminam a secreção armazenada através de exocitose sem perda de material citoplasmático. Já nas células holócrinas a secreção é eliminada juntamente com todo o seu contudo celular, durante este processo ocorre a destruição total da célula, este tipo celular é encontrado nas glândulas sebáceas. As glândulas apócrinas são glândulas intermediárias, ou seja, durante o processo de secreção, a parte apical do citoplasma é perdida, este tipo celular é encontrado nas glândulas mamárias.

 

Bibliografia:
Histologia básica I L.C.Junqueira e José Carneiro. - [12 . ed]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

Abraham L. Kierszenbaum. Histologia e Biologia celular, Uma introdução à patologia. 3ª edição. Elsevier, 2012

Arquivado em: Glândulas, Histologia