Operação Pan-Americana

Recebeu o nome de Operação Pan-Americana (OPA) uma iniciativa da diplomacia brasileira, sob o governo de Juscelino Kubitschek e que tinha como objetivo unir todos os países do continente americano em torno de um projeto de desenvolvimento social e econômico de todo o continente, combatendo assim a pobreza, o subdesenvolvimento e demais carências comuns a todos as nações americanas.

A OPA é concebida a partir dos incidentes ocorridos com o vice-presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, durante uma série de visitas programadas a países da América Latina em 1958. Nixon seria hostilizado em vários momentos de seu périplo, especialmente na Venezuela, onde sua comitiva foi atacada a pedradas.

Impressionado pelos incidentes, Augusto Frederico Schmidt, conselheiro e ghost-writer do presidente Kubitschek, é quem notoriamente concebe a ideia da OPA, e encoraja Juscelino a enviar uma carta ao presidente americano Dwight Eisenhower, lamentando os incidentes enfrentados por Nixon, aproveitando também para descrever seu projeto sobre um novo relacionamento a ser buscado entre todos os países americanos, na forma de um programa multilateral de desenvolvimento econômico que ao mesmo tempo se constituiria numa estratégia de defesa do continente.

Em um período em que a Guerra Fria estava no seu ponto mais crítico, a OPA era propagandeada como um meio de se evitar a fundação de regimes socialistas, que poderiam surgir justamente como resposta à insatisfação com a realidade econômica e social, na qual os Estados Unidos tinham grande participação. O teor do projeto consistia em que os Estados Unidos assumissem um compromisso de cooperação para a erradicação do subdesenvolvimento da América Latina. Ao atrair a atenção da superpotência para os países latinos, seria possível obter maiores créditos no sistema político, levando à adesão de Washington a um bloco multilateral que combateria os problemas estruturais do continente. Os objetivos da OPA seriam alcançados por meio das seguintes metas, atingidas principalmente por meio de capitais públicos, buscando incluir todos os países americanos, sem distinção alguma:

  1. introdução de investimentos financeiros nas regiões mais necessitadas do continente;
  2. constituição de uma assistência técnica para aumentar a produtividade, levando a maior retorno financeiro dos investimentos realizados;
  3. conservação dos preços das commodities comercializadas pela América Latina;
  4. promoção da liberalização institucional internacional;
  5. pesquisa para uma constante ampliação da pauta de recursos disponíveis;

A proposta da OPA foi bem recebida pelo presidente norte-americano, e conversações foram postas em marcha. No entanto, logo depois Cuba irá adotar um regime socialista, o que irá mobilizar todos os esforços norte-americanos em erradicar o regime instalado na ilha caribenha. Agora, a prioridade dos EUA seria o combate ao comunismo na América. O presidente seguinte, John Kennedy, irá se "apropriar" da ideia da OPA, adaptando-a aos objetivos da política estadunidense. Batizada de Aliança para o Progresso, esta se concentrava pesadamente no combate ao comunismo, fazendo uso de financiamentos, muitas vezes sem qualquer critério de planejamento social, utilizados tão somente para custear governos simpáticos aos ideais pregados por Washington.

Mas as ideias da OPA não permaneceram todas no papel. Um dos legados do projeto foi a fundação do Banco Interamericano de Desenvolvimento, o BID, cujo objetivo era justamente o de financiar projetos de desenvolvimento em todo o continente.

Bibliografia:
BATALHA, Camila Fernanda; DUARTE, Thiago Silva . Politica Externa do Governo Juscelino Kubitschek: Operação Pan-Americana . Disponível em http://www.investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/politica/164527-politica-externa-do-governo-juscelino-kubitschek-operacao-pan-americana.html . Acesso em 17/06/2011.

A Operação Pan-Americana . Disponível em http://www.projetomemoria.art.br/JK/biografia/3_operacao.html . Acesso em 17/06/2011.

LESSA, Antonio Carlos . Há cinquenta anos a Operação Pan-Americana . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-73292008000200001&script=sci_arttext . Acesso em 17/06/2011.

Arquivado em: História do Brasil