Imigração Alemã no Brasil

Por Thais Pacievitch
Em 1818, o primeiro grupo de imigrantes alemães que chegou ao Brasil, fixou-se no sul da Bahia. No entanto, a primeira colônia fundada pelos alemães foi no extremo sul do país, em São Leopoldo, hoje, região metropolitana da capital gaúcha. Os alemães vieram pensando em conseguir uma vida melhor no Brasil, já que estas não eram exatamente as condições que encontravam na Alemanha.

No ano de 1827, chegaram os primeiros imigrantes germanos ao porto de Santos, este primeiro grupo foi para Santo Amaro, os grupos que vieram a seguir foram para localidades como São Roque, Embu, Itapecerica, Rio Claro e para os cafezais, no interior do estado de São Paulo. Dois anos depois, tinha início a colonização de Santa Catarina (hoje, o mais alemão dos estados brasileiros, calcula-se que 35% da população deste estado tem ascendência alemã) nas cidades de Mafra e São Pedro de Alcântara. Posteriormente foi a vez do Paraná, lá a colonização começou pela cidade de Rio Negro. Em Curitiba, a partir de 1833, começou a chegar um número um pouco maior de imigrantes.

O Rio Grande do Sul foi o estado que mais imigrantes alemães recebeu, seguido de Santa Catarina. No ano de 1930, aproximadamente 20% da população destes estados eram compostos de imigrantes de origem germânica. Embora menor, a presença alemã foi marcante em estados como São Paulo, Paraná, Espírito Santo, Minas gerais e Rio de Janeiro (Nova Friburgo e Petrópolis).

O ápice da imigração alemã no Brasil ocorreu entre 1920 e 1930, ou seja, depois da I Guerra Mundial e antes do início da Segunda Grande Guerra, época em que desembarcaram no país aproximadamente 75.000 alemães fugindo das tensões de cunho político e econômico que aconteciam na Alemanha daquele período. Naquele período havia grande desemprego naquele país, gerado pelo desenvolvimento de novas tecnologias, que fizeram artesãos e indústrias domésticas quebrarem.

Estes novos imigrantes já não se dirigiam às áreas rurais (alguns deles vieram como refugiados políticos), mas trabalhavam como operários, professores, etc. Desta forma, a mão de obra alemã especializada que chegou ao Brasil foi de grande importância para o desenvolvimento da industrialização do sul do país.

Leia também: