Independência dos Estados Unidos da América

Por Ana Paula de Araújo
Em 1754, no Congresso de Albany, Benjamin Franklin sugeriu que as treze colônias fossem unificadas, mas sua proposta foi rejeitada tanto pelas colônias quanto pelo Rei Jorge II da Inglaterra.

Benjamin Franklin

Benjamin Franklin

Houve, porém, um movimento protestante chamado “O Grande Despertar”, nas décadas de 1730 a 1740, o qual unificou as forças religiosas nas colônias, fato este que foi o primeiro passo para a definitiva unificação das mesmas. O movimento consistia em pregar valores do protestantismo, aparentemente esquecidos pelos habitantes das colônias. Alguns pregadores viajavam pelas colônias em busca de concretizar o movimento. As pessoas que aderiam a estes ideais eram chamadas de “Novas Luzes” e as pessoas que não aderiam aos mesmos eram chamadas de “Velhas Luzes”. Após esse evento, a religiosidade dos Estados Unidos iria decair por pelo menos 80 anos. Mas se este movimento não conseguiu unificar religiosamente o país, pelo menos foi um primeiro passo para a unificação política que iria culminar na Independência do País como veremos adiante.

Os franceses e britânicos habitantes na colônia foram atingidos por brigas políticas entre a Inglaterra e a França por territórios, o que acabou desembocando da Guerra Franco-Indígena, que aconteceu de 1754 a 1763. Durante esta guerra a identidade cultural das treze colônias mudou consideravelmente, pois muitos britânicos tiveram que lutar ao lado de americanos, muitos colonos tiveram que se deslocar pelo país entre outras coisas que influenciaram, pois devido às proporções da Guerra, houve muitas alianças para somar forças. Ao final, os colonos americanos, juntamente com os britânicos triunfaram sobre os franceses.

Após a Guerra Franco-Indígena os colonos americanos reivindicaram por terem servido aos interesses britânicos cedendo seus soldados e arriscando as vidas das suas famílias, sendo que não receberiam nada em troca, a Guerra atendia apenas aos interesses europeus. A Inglaterra, por sua vez, adquiriu muitas dívidas por causa da guerra e o povo acabou por alegar que as colônias Americanas não valiam tantos esforços. Alegaram ainda que os soldados americanos eram inferiores devido à sua péssima disciplina. Essas rivalidades causariam, mais tarde, o início da Revolução Americana de 1776.

George Washington

A Inglaterra passaria a dominar o dobro do território que dominava até então, e para manter suas novas dívidas juntamente com a segurança desses territórios, aumentou os impostos e restringiu os direitos dos colonos, entre outros atos da mesma natureza. Esta situação foi a principal responsável pela destruição das relações entre os Estados Unidos e a Inglaterra, o que culminou, treze anos depois, na guerra pela Independência (1775).

A revolução inicia-se em 19 de Abril de 1775, quando as tropas britânicas partem para Lexington, em busca de invadir o local e confiscar as armas dos Americanos. Estes, porém, sabendo previamente do ataque, armaram-se e reagiram, derrotando as tropas britânicas. No dia 10 de Maio de 1775, George Washington é escolhido para liderar as tropas americanas em uma rebelião rumo à independência.

Em 23 de Agosto de 1775, o Rei Jorge declarou oficial a rebelião das treze colônias e ordenou que parassem imediatamente ou preparassem para ser esmagados pelas forças britânicas.

Durante o inverno, os americanos conseguiram capturar um forte britânico em Nova Iorque e ainda transportar um canhão desde Massachusetts até Boston, o que fez com que, no dia 17 de Março de 1776, as tropas britânicas recuassem de Boston.

Finalmente, em 4 de Julho de 1776, foi levada ao conhecimento público, através do Segundo Congresso Continental, a Declaração de Independência Americana, cujo principal autor era Thomas Jefferson. A independência dos Estados Unidos da América foi assim declarada através deste documento.