Antologia

Antologia é uma compilação de textos, acompanhados ou não de notas e observações. Normalmente eles são escolhidos conforme certas normas de avaliação e personificam uma determinada vertente literária ou a obra completa de um escritor. O termo provém do grego ‘anthos’, que significa flor, e ‘lego’, o qual traz a conotação de escolher; assim resulta em ‘florilégio’, ou seja, coleção de flores.

Quase sempre as antologias oferecem ao leitor composições poéticas ordenadas conforme o tema, o autor ou a época na qual foram produzidas. A mais arcaica de que se tem ciência foi estruturada por Meléagro, poeta nascido na Grécia antiga. Estas coletâneas são utilizadas para distribuir histórias breves e romances sintéticos em um único livro a ser impresso e vendido no mercado editorial.

Este termo só passou a ser usado após o século XVIII, pois até então somente eram utilizados os vocábulos ‘cancioneiro’, ‘flores’, ‘florilégio’, ‘romanceiro’, ‘silva’ e ‘silvas’ para se referir a uma coleção de textos literários. Nesses dois últimos séculos a antologia conquistou um status especial nas atividades educativas.

Ela tem sido utilizada como ferramenta pedagógica nas pesquisas sobre os livros nacionais, pois abriga os textos mais importantes da literatura brasileira. Também é ideal para orientar a análise da obra de um determinado escritor quando ela é muito ampla ou há uma carência de tempo escolar. Então o professor é forçado a realizar uma escolha das passagens que melhor simbolizam essa produção literária.

A antologia também se presta à disseminação de escritos manuscritos ancestrais, os quais estão espalhados por vários lugares e/ ou são originais. Ou ajudam a divulgar textos editados em outros idiomas, principalmente aqueles que não estão ao alcance de um determinado conjunto de leitores.

As coletâneas ou antologias exercem um desempenho pedagógico significativo, porém igualmente atuam como instrumentos de conversão de escritores e produções literárias em instituições, contribuindo para a criação de cânones. Isto pode ser comprovado nas obras greco-latinas e também nas japonesas, persas e chinesas na época antiga.

Os estudiosos têm se esforçado para distinguir essencialmente uma antologia e uma miscelânea, apesar das dificuldades para esclarecer essa diferença. Esta é mais destinada a abrigar coleções que não seguem propósitos pedagógicos e crivos de seleção que sejam alicerçados em razões sólidas.

A atividade do editor de uma antologia será mais perfeita se o responsável pela seleção tecer uma apreciação crítica dos textos, determinando seu contexto, dividindo-os em gêneros ou tópicos particulares, e até mesmo dispondo-os conforme critérios cronológicos, justificando constantemente suas escolhas em uma introdução, em anotações ou em observações resumidas que devem preceder cada parte da coletânea.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Antologia
http://www.edtl.com.pt/index.php?option=com_mtree&task=viewlink&link_id=588&Itemid=2

Arquivado em: Literatura