Febre Aftosa

Por Fabiana Santos Gonçalves
A febre aftosa é uma doença viral, altamente contagiosa, que atinge principalmente animais de casco fendido. Pode manifestar-se em qualquer idade do animal. A sua ocorrência em humanos é extremamente rara, pois o vírus causador da doença é destruído no estômago, quando carne infectada é ingerida.

História

O vírus causador da febre aftosa foi descoberto no século XVI, na Itália, e mais tarde foi observada em vários países da Europa, Ásia, África e América. Hoje é considerada uma doença endêmica em vários países.

Agente etiológico

O vírus causador da doença está na família Picornaviridae, e é do gênero Aphtovirus.

A doença é causada por pelo menos 7 tipos de vírus: A, O, C, SAT-1, SAT-2, SAT-3 e Asia-1, que são transmitidos pelo ar, água e alimentos.
Os vírus possuem simetria icosaédrica e uma fita de RNA simples.

Sintomas

Os primeiros sintomas envolvem febre e diminuição do apetite. O vírus provoca lesões na boca, língua, estômago, intestino, narinas, na pele e ao redor de casco. No início surgem vesículas que se rompem, formando aftas. Com isso o animal baba muito e não consegue se alimentar e se locomover, ficando fraco. Quando as vesículas se rompem, as partículas virais são liberadas no ambiente. A salivação também libera vírus. O crescimento, engorda e produção de leite são prejudicados.

A mortalidade é mais elevada em animais mais jovens.
A intensidade da doença é muito variável. Os animais curados podem contaminar animais sadios, pois se tornam portadores.

Transmissão

Os vírus são transmitidos através dos líquidos contidos nas vesículas e sangue. A saliva contém muitas partículas virais provenientes das vesículas. Quando o animal infectado baba, contamina os lugares por onde passa. Os vírus resistem no ambiente por vários meses.
Também pode ser transmitida através de alimentos, água e ar. Pessoas que tiveram contato com animais doentes podem transportar partículas virais.

Prejuízos

Além de levar os animais à morte, a exportação é recusada pelos países compradores, causando sérios prejuízos financeiros ao país. Também causa perdas na eficiência reprodutiva.

Tratamento

É feito através de soros, medicação nos ferimentos, higiene e desinfecção do local.

Vacinação

No Brasil a vacina deve ser aplicada a cada 6 meses, a partir do 3º mês de vida.

Prevenção

A prevenção é feita por vacina.
Caso seja encontrado algum animal infectado, ele deve ser sacrificado e seu cadáver deve ser destruído. O trânsito de animais e pessoas deve ser impedido e as autoridades competentes devem ser informadas. Medidas de higiene e desinfecção devem ser tomadas.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.