Anestesiologia

Anestesiologia é a especialidade médica que consiste em evitar a dor em um paciente que está sendo submetido a uma intervenção cirúrgica. O profissional que trabalha nesta área é chamado anestesiologista, eles são responsáveis pela avaliação do paciente, escolha do tipo de anestesia, vigilância durante a cirurgia e recuperação da anestesia.

O trabalho do anestesiologista não é limitado somente durante o ato cirúrgico, podendo atuas também em clínicas de dor, cuidando de pacientes com câncer, entre outros. Como chefe de UTI ou até mesmo assumindo cargos administrativos dentro do centro cirúrgico, ou em outros locais do hospital.

Para se preparar para uma cirurgia, é necessário falar com seu médico sobre seus hábitos, reações alérgicas a medicamentos e também de outras experiências tidas com anestésicos. Além de alertá-lo também sobre doenças como asma, diabetes, bronquite, pressão alta, problemas de coração ou remédio fisioterápicos.

Se o paciente utiliza uma droga ilegal como maconha, crack ou cocaína, faz uso de anabolizantes ou estimulantes ou têm doença infecto-contagiosa é necessário alertar o anestesiologiasta sobre isso. Como médico ele têm obrigação de manter sigilo profissional.

O tipo de anestesia escolhida é feito através de avaliações clinicas, realizadas no paciente.

Existem três tipos de anestesia:

- Anestesia Local – é aquela aplicada somente no local onde será feita a cirurgia.

- Anestesia Regional – é aplicada na coluna, conhecidas como anestesias espinhais, são ideais para cirurgias feitas abaixo do umbigo.

- Anestesia Geral – o paciente fica inconsciente. Pode ser inalatória (pela respiração) ou aplicada intramuscular. É aplicada geralmente quando são feitas cirurgias profundas ou em uma área extensa.

O anestesiologista durante a anestesia deverá ficar atento às funções vitais como: freqüência respiratória e concentração de oxigênio nos pulmões, atividade muscular, volume urinário, nível de consciência, freqüência cardíaca, pressão arterial, entre outras.

Durante a cirurgia o paciente pode ficar consciente ou inconsciente, isso nas anestesias locais ou regionais. Em operações mais longas e indivíduos mais nervosos é aconselhável deixá-lo dormindo. Em pessoas calmas e operações rápidas não há necessidade de deixá-lo inconsciente.

Após a cirurgia o paciente deve ficar na Sala de recuperação anestésica onde será observado através de aparelhos. A função respiratória, circulatória, consciência e regressão da anestesia. Após isso, é seguido um tratamento pós-operatório para manter o paciente sem dor.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina