Nefrologia

A nefrologia é a especialidade médica que se ocupa do estudo da estrutura e da função renal, incluindo o tratamento e a prevenção das doenças dos rins. A palavra nefrologia é de origem grega, onde nephrós significa rim e logia, estudo ou tratado. O médico especialista em nefrologia se chama nefrólogo ou nefrologista.

A maioria das doenças que atingem os rins não está limitada somente a estes órgãos, mas são desordens sistêmicas. A nefrologia se refere ao diagnóstico da doença renal e do seu tratamento, medicamento e diálise, e ao acompanhamento dos pacientes de transplante renal. Concomitantemente, a maioria dos nefrólogos é especialista nos cuidados das desordens dos eletrólitos e da hipertensão.

São encaminhados aos nefrólogos, por exemplo, os pacientes com insuficiência renal (condição em que os rins deixam de funcionar normalmente); insuficiência renal aguda (perda repentina da função renal); insuficiência renal crônica (declínio da função renal com potencial aumento da creatinina); hematúria (perda de sangue na urina); proteinúria (perda de proteína, especialmente albumina, na urina); cálculos renais; câncer de rim (normalmente tratado por urólogos); infecções do sistema urinário crônicas; transtorno eletrolítico ou desequilíbrio ácido/base.

Para o diagnóstico de distúrbios renais é realizada a análise de urina, dos eletrólitos, da creatinina e da uréia. Outros exames feitos habitualmente pelos nefrólogos incluem a biópsia renal; ultra-som para verificar as condições dos vasos sangüíneos renais; tomografia axial computadorizada para verificar a existência de lesões e para ajudar no diagnóstico nefrolitíase; gammagrafia (medicina nuclear) para a exata medida da função renal e o diagnóstico da doença da artéria renal; angiografia de ressonância magnética nuclear quando os vasos sangüíneos estiverem afetados.

Muitas doenças dos rins são tratadas com medicação, como esteróides, medicamentos anti-reumáticos modificadores da doença, anti-hipertensivos (muitas doenças renais se caracterizam pela hipertensão). Freqüentemente é requerido um tratamento com eritropoietina e vitamina D para substituir estes hormônios, cuja produção cessa com a doença renal crônica. Quando os sintomas da insuficiência renal são demasiado severos, pode ser necessário requerer diálise (processo onde o sangue é filtrado por uma máquina, dada a incapacidade dos rins de efetuar este trabalho). Quando o paciente passa por um transplante renal, o nefrólogo supervisiona o regime de imunossupressão e as potenciais infecções que podem acontecer no pós-operatório.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina