Câncer renal

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

O câncer de rim ou câncer renal representa uma taxa de 3% de todos os tipos de câncer, ou seja, não é um dos tipos mais frequentemente encontrados. A origem ocorre a partir da transformação das células dos túbulos que formam os néfrons. Os homens são mais acometidos pela doença do que as mulheres, e a faixa etária mais comum é dos 55 aos 75 anos de idade. Pessoas mais jovens também podem desenvolver esse tipo de câncer, mas a incidência é rara.

Fisiologicamente, os rins são dois órgãos localizados logo acima da cintura, um de cada lado, responsáveis por filtrar o sangue e produzir a urina, ou seja, todas as e toxinas são eliminadas dos organismos a partir dos rins.

O tipo histológico mais frequente de câncer renal é o carcinoma de células renais, conhecido como carcinoma de células claras e sua origem é no epitélio dos túbulos contornados proximais (córtex renal). Entre 70 a 80% dos tumores do parênquima renal são do tipo de células claras.

Existem ainda outros tipos histológicos, que ocorrem com menor frequência, como o carcinoma dos ductos de Bellini e o carcinoma cromófobo de células renais. O câncer renal pode ser esporádico, como é na grande maioria dos casos, ou estar associado a fatores genético e hereditários como a Síndrome de Van Hippel-Lindau, a esclerose tuberosa, insuficiência renal crônica e doença renal cística adquirida.

As causas do desenvolvimento do câncer renal não são totalmente elucidadas, sendo o tabagismo, o gênero, já que atinge mais homens, obesidade, hipertensão e histórico familiar fatores de risco associados.

Sintomas

Os sintomas do câncer renal envolvem sangue na urina, o mais comum, dor na região lombar, fadiga, massa abdominal palpável, emagrecimento, inchaço das pernas e pés. Nas fases iniciais, o câncer renal não costuma apresentar sintomas.

Diagnóstico

O diagnóstico do câncer renal não costuma ser realizado nas fases inicias da doença, e é baseado na avaliação do histórico clínico do paciente, sendo que o histórico familiar é levado em consideração.

Testes confirmatórios de imagem como a ultrassonografia do abdome e a tomografia são utilizados para o diagnóstico.

Como o diagnóstico não costuma ser realizado nas fases inicias da doença, é comum o desenvolvimento de metástase. Por isso, é indicado uma análise com tomografia do tórax, para avaliar o comprometimento de outras regiões como os pulmões.

A biópsia por aspiração por agulha fina (BAAF) é realizada para a confirmação diagnóstico e avaliação do melhor tratamento.

Vale a pena ressaltar que, atualmente, com o avanço das técnicas de imagem, o diagnóstico de câncer renal na fase inicial está mais frequente, e acontece de forma acidental.

Tratamento

O tratamento curativo mais realizado para o câncer renal, quando o tumor é localizado, é a cirurgia, que pode ser uma nefrectomia parcial, focada na retira do tumor, sem remover o rim, ou a nefrectomia total, quando é realizada a retirada completa do rim.

Como o tipo mais frequente de câncer renal é o carcinoma de células claras, o tratamento é focado para esse tipo específico.

Os outros tipos histológicos não possuem um tratamento direcionado e em casos metastáticos, o tratamento alvo é recomendado.

Diferente de outros tipos de câncer, a quimioterapia não é muito indicada para o câncer renal. A imunoterapia, com interleucina ou interferon, é a mais indicada especialmente nos casos em que o câncer se espalhou para outros órgãos. Esse tipo de terapia ainda é indicada pois as drogas aplicadas, chamadas de antiangiogênicas, agem diretamente sobre os novos vasos sanguíneos criados pelo câncer, impedindo seu crescimento, já que esse tipo de câncer em específico cria vasos sanguíneos novos para seu crescimento. A terapia de células-alvo traz medicamentos que atuam sobre proteínas-chave na via metabólica associadas ao gene de Von-Hippel-Lindau (VHL) e ao fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), com isso, a terapia possui importante papel na angiogênese tumoral desse tipo de câncer. Essas novas terapias vêm mostrando resultados promissores, com um bom prognóstico especialmente em pacientes com metástase, sendo o tratamento mais utilizado na atualidade.

Prevenção

A prevenção do câncer de rim engloba evitar alguns dos fatores de risco (como tabagismo, obesidade e alta pressão arterial). Consumir bastante água pura diariamente contribui para o bom funcionamento dos rins.

Fontes:

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/cancer-renal/

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/nucleo-avancado-urologia/Paginas/cancer-rim.aspx

https://www.ladoaladopelavida.org.br/cancer-de-rim

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/mais-de-90-dos-casos-de-cancer-renal-evoluem-para-metastase/11658/7/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Câncer