Punção Lombar

Por Débora Carvalho Meldau
A punção lombar trata-se da aspiração do líquido cefalorraquidiano (líquor) na região lombar da medula espinhal, sendo o material encaminhado para análise bioquímica, microbiológica e citológica.

Este procedimento leva aproximadamente 15 minutos, caso não haja complicações ou problemas anatômicos no paciente. É realizado colocando-se o paciente com o pescoço dobrado para baixo e as pernas encolhidas (na posição fetal). O médico palpa a coluna em busca das 4° e 5 vértebras lombares (L4 e L5), realizando, por conseguinte, a desinfecção da área. Subsequentemente, o médico introduz uma agulha entre as duas vértebras em questão para, na maior parte das vezes, colher uma amostra de líquor, que é um líquido que se encontra ao redor do sistema nervoso central e tem como função proteger o mesmo contra lesões.

A punção lombar é indicada para:

  • Pesquisa de infecções, como no caso da meningite;
  • Investigação de certas condições inflamatórias do sistema nervoso, como a síndrome de Guillain-Barré e a esclerose múltipla;
  • Investigação de alguns tipos de cânceres que acometem o cérebro ou a medula espinhal;
  • Em certos casos, os médicos também utilizam a punção lombar para introduzir fármacos, como a anestesia raquidiana e quimioterapia;
  • Para administração de contrastes para exames radiológicos (mielorafia);
  • Para descompressão medular, caso haja o aumento de pressão no canal medular em decorrência do aumento de líquor;
  • Para medir a pressão do líquido cefalorraquidiano.

O líquido colhido durante o procedimento é enviado ao laboratório para análise, onde será verificada uma série de aspectos do líquor, como:

  • Aparência geral: o normal é ser claro e incolor.
  • Proteína: níveis de proteína superior a 45 mg/dL pode apontar a presença de infecção ou outra condição inflamatória.
  • Leucócitos: habitualmente o líquor apresenta até 5 leucócitos/µL. Elevação desse número pode indicar uma infecção.
  • Glicose: um baixo nível de glicose no líquor pode indicar alterações, como, por exemplo, uma infecção.
  • Microrganismos: a presença de qualquer agente patogênico (vírus, bactérias, fungos e outros) pode indicar a presença de infecção.
  • Células neoplásicas: a presença destas células pode apontar para certos tipos de cânceres no sistema nervoso central.

Embora esta prática seja reconhecida como segura, apresenta alguns riscos, como:

  • Cefaleia pós punção lombar;
  • Dor ou desconforto na região lombar após o procedimento;
  • Infecção;
  • Hemorragia.

Leia também:

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pun%C3%A7%C3%A3o_lombar
http://www.conhecersaude.com/exames-medicos/p/3102-puncao-lombar.html
http://www.mayoclinic.com/health/lumbar-puncture/MY00982

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.