Origem dos Antibióticos

Por Fabiana Santos Gonçalves
Agentes quimioterápicos são substâncias químicas utilizadas para o tratamento de doenças, e alguns desses agentes são produzidos por microorganismos.

A maioria dos antibióticos utilizados são produzidos por bactérias do gênero Streptomyces e alguns por fungos do gênero Penicilliume Cephalosporium. Esses compostos podem ter ação antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiblástica.

Bactérias da espécie Staphylococcus aureus não crescem nas proximidades do antibiótico. Foto: CDC / Don Stalons (phil.cdc.gov) [Public domain], via Wikimedia Commons

Bactérias da espécie Staphylococcus aureus não crescem nas proximidades do antibiótico. Foto: CDC / Don Stalons (phil.cdc.gov) [Public domain], via Wikimedia Commons

A quimioterapia tem sido utilizada há vários séculos. A primeira grande descoberta foi realizada por Paul Ehrlich, um médico alemão. Ele acreditava que podia sintetizar um produto químico para curar a sífilis, mas sem prejudicar o paciente. Ele observou que o arsênio poderia inibir o agente causal as sífilis, porém era tóxico ao ser humano. Em 1908 ganhou um Prêmio Nobel por descobrir o primeiro composto químico sintetizado em laboratório que podia curar uma doença sem intoxicar o paciente. O composto foi eventualmente chamado de salvarsan.

Aproximadamente 30 anos mais tarde, pesquisas realizadas por Domagk e por Tréfouël e seus colaboradores resultaram na descoberta das sulfonamidas.

A descoberta da Penicilina

Em 1928, Alexander Fleming observou que o crescimento de bactérias Staphylococcus aureus era inibido na área ao redor de um fungo que haviam contaminado a placa de petri. Esta descoberta foi completamente acidental. Aparentemente o fungou inibiu e matou as bactérias ao redor da colônia de fungos. Estudos deste fenômeno mostraram que o fungo do gênero Penicillium produzia uma substância contra estafilococos. Reações inibitórias similares entre colônias em meio sólido são comumente observadas em microbiologia e são chamadas de antibiose. Foi daí que surgiu o termo antibiótico.

Fleming denominou a substância descoberta de penicilina. A descoberta da Penicilina e a subsequente utilização para o tratamento de feridos da guerra introduziram a era moderna dos antibióticos.

Desde 1940 muitos outros antibióticos têm sido isolados e identificados. A grande dificuldade é encontrar um composto que não seja tóxico para os tecidos humanos. Os antibióticos são relativamente fáceis de se descobrir, mas poucos possuem valor medicinal ou comercial. Alguns são utilizados comercialmente como suplementos na alimentação de animais.

Para um composto químico ser um agente antimicrobiano ideal, ele deve ser capaz de destruir ou inibir muitas espécies de microorganismos patogênicos, de preferência o maior número de espécies diferentes. A inibição dos microorganismos deve ser de maneira que evite o desenvolvimento de formas resistentes, não produzir efeitos colaterais indesejáveis no paciente, não eliminar os microorganismos da flora normal e ser solúvel nos fluidos corporais.

Leia também:

Referências bibliográficas:
Luiz Rachid Trabulsi e Flavio Alterthum. Microbiologia, São Paulo: Atheneu, 2008.
Chan, E. C. S. Krieg, Noel R. Pelczar Jr. Microbiologia. São Paulo: Pearson, 1997.
Tortora, Gerard J. Funke, Berdell R. Case, Christine L. Microbiologia. São Paulo: Artmed, 2007.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.