Polvo

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Polvo, que significa “muitos pés”, são animais invertebrados do filo Mollusca, da classe Cefalopoda. Estima-se que existem em torno de 700 espécies na ordem Octopus. São animais estritamente marinhos e estão em todos os oceanos da Terra, principalmente em águas tropicais. Este nome significa que os cefalópodes possuem pés fundidos com a cabeça, ou seja, tentáculos ligados à cabeça do animal. Diferentes das lulas, estes animais não possuem o equivalente a um esqueleto interno.

Polvo da espécie Octopus vulgaris. Foto: Beckmannjan [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons

Como o nome da ordem já diz, possui oito braços que são usados também para sua locomoção e podem fazer a autotomia destes membros (amputação espontânea). São conhecidos por mudar de cor em resposta a perigo ou a uma emoção, isso porque possuem células especiais chamadas de cromatóforos que lhes permitem variar a cor rapidamente. A mudança de cor pode ser uma forma de defesa (camuflagem), além disso, usam também a autotomia e o jato de tinta. Estes animais possuem glândulas que liberam uma substância composta por melanina e outros compostos, que quando liberada parece uma nuvem de tinta. Isto funciona para confundir seus predadores, tanto na visão, quanto no olfato, pois a substância possui, também, cheiro. Quanto à camuflagem, as espécies possuem de dois a quatro pigmentos em seus cromatóforos. A espécie Thaumoctopus mimicus é capaz de mudar sua cor e flexionar o seu corpo ao ponto de imitar um predador perigoso, como a moreia.

São animais solitários, que vivem entre rochas e suas falhas. Têm espécies que pesam 3 kg e outras que podem chegar aos 40 kg; algumas chegam a 3 metros de comprimento, sendo chamadas de monstros dos mares.

Polvo do coco (Amphioctopus marginatus). Foto: Andrea Izzotti / Shutterstock.com

Possuem sistema nervoso complexo e órgãos sensoriais desenvolvidos. Os gânglios são grandes e formam estrutura como um cérebro que é subdivido com partes para memória e aprendizagem. Têm neurônios e são animais com comportamento bastante estudado em cativeiro, devido a sua inteligência, única em invertebrados e acima de alguns vertebrados. Os olhos são desenvolvidos, tendo visão binocular, podendo formar imagens e alguns acreditam que veem cores, mas estudos mostram que eles conseguem apenas distinguir a polarização de cores. Seus braços altamente flexíveis possuem receptores de tensão e têm ventosas que funcionam como quimiorreceptores, lhes dando a capacidade de sentir a textura de um objeto e até o cheiro. Essas ventosas ajudam na locomoção e na alimentação.

A reprodução é sexuada. A fêmea libera um feromônio sexual na água, que atrai machos, podendo ser fecundada por mais de um parceiro. Polvos possuem um braço modificado, o hectocotylus que introduzirá os espermatóforos na fêmea. Elas são capazes de guardá-los no seu interior até que os óvulos amadureçam. São milhares de ovos que podem ser depositados nos mais diversos lugares, dependendo da espécie, por exemplo, em ninhos. A mãe cuida dos ovos até eclodirem e morre pouco tempo depois, já que não se alimentam durante este processo. Os machos morrem algum tempo depois da cópula. Quando nascem ficam na superfície da água se alimentando de zooplâncton e quando adultos a maioria das espécies habita as águas profundas.

Eles são carnívoros e se alimentam de peixes e outros invertebrados, como crustáceos. O canibalismo é comum em algumas espécies. São importantes economicamente, já que em algumas culturas ele serve de alimento.

Referências:
http://animaldiversity.org/accounts/Cephalopoda/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Polvo
http://kids.nationalgeographic.com/animals/octopus/#octopus.jpg
http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/a_surpreendente_inteligencia_dos_polvos_2.html

Arquivado em: Cefalópodes