Simbolismo

O Simbolismo foi um movimento que se estendeu as artes plásticas, a literatura e ao teatro. Surgido na França no final do século XIX, aproximadamente em 1880, o Simbolismo teve pouco espaço em função do avanço do Modernismo. Opondo-se ao progresso da ciência e das tecnologias e o modo de pensamento mais racional do final do século XIX, o movimento Simbolista buscou o que até então estava em segundo plano, explorou a vida espiritual, o mistério, o subjetivismo, o inexplicável e o individualismo.

Os artistas simbolistas abraçaram uma visão bastante individualista da realidade, em função disso ficaram inicialmente conhecidos por “decadentistas”. Somente com a publicação do manifesto – “O Século XX”, os, então, decadentistas adotaram um nome definitivo - Simbolismo. A partir de então o termo começou a se popularizar e os artistas passaram a ser chamados de Simbolistas.

Os artistas desse movimento não se limitaram aos princípios estéticos que norteavam a arte vigente e enfatizaram que as emoções eram mais importantes que a razão. O artista deveria criar segundo sua percepção, entendimento e imaginação deixando de lado a observação e a descrição do mundo físico.

Entre os seus principais expoentes nas artes plásticas estão: Aubrey Beardsley (1872 – 1898), Arnold Böcklin (1827 – 1901), Puvis de Chavannes (1824 – 1898), Paul Gauguin (1848-1903), James Ensor (1860-1949), Odilon Redon (1840-1916), Gustav Klimt (1962-1918), Gustave Moreu (1826-1898), Edvard Munch (1863-1944) e Henri Rousseau (1844-1910).

Esses artistas queriam representar outra realidade em suas pinturas tentando revelar seu lado obscuro, por isso adotaram algumas características que foram centrais no movimento Simbolista: melancolia, espiritualidade, sexualidade e inquietação. As imagens figuradas nas telas dos simbolistas podiam representar sonhos, pesadelos, desordem, e estados alterados, lembrando o que viria a ser o Surrealismo e o Expressionismo.

Gauguin, um dos principais expoentes do movimento Simbolista, em suas pinturas, evitava fazer misturas de cores, preferindo as cores básicas, bem como formas simplificadas e contornos pretos.

No Brasil, artistas como Eliseu Visconti e Rodolfo Amoedo foram influenciados pelo movimento Simbolista. Um bom exemplo da influência simbolista nos artistas brasileiros é a tela Recompensa de São Sebastião, de Eliseu Visconti. Além disso, esse movimento entusiasmou alguns poetas na área a literatura: Augusto dos Anjos, Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimarães.

Leia também:

Referências bibliográficas:

Simbolismo. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3841/simbolismo.

LITTLE, Stephen. ...ismos: para entender a arte. Brasil, Ed. Globo, 2011.