Fossas Abissais

Fossas abissais ou oceânicas são áreas deprimidas e profundas do piso submarino. Possuem dimensões hemisféricas, sendo porém, estreitas em largura. Tal área do relevo oceânico pode atingir até 11 km de profundidade.

A temperatura nas fossas oceânicas pode ser deveras reduzida, variando normalmente entre 0 e 2 graus. A maior das fossas oceânicas conhecidas é a depressão Challenger, na Fossa das Marianas, com 11033 metros de profundidade (a fossa das Marianas localiza-se a leste do arquipélago das Filipinas).

As fossas se formam nas chamadas zonas de subducção, trechos da crosta terrestre onde as placas tectônicas convergem, colidem, e uma delas, a de maior densidade penetra embaixo da outra de menor densidade. Como resultado forma-se uma grande depressão no solo submarino. Um perfeito exemplo deste fenômeno é a Fossa do Atacama, próximo a Peru e Chile, que restultou do choque entre uma placa continental sul americana e a placa oceânica de Nazca.

Formação das Fossas oceânicas ("trench")

A despeito do que se possa imaginar, há vida em abundância em tais áreas, com destaque para os moluscos, esponjas, anêmonas do mar e uma variedade de peixes cegos (peixes abissais), repletos de filamentos fluorescentes. A pressão nos locais onde vivem tais criaturas é tamanha que poderia esmagar até uma baleia. É um ambiente de total escuridão onde muitos dos animais alimentam-se de restos e cadáveres dos peixes das camadas superiores.

É no Oceano Pacífico ocidental que se encontra o maior número de fossas, sendo também estas as mais profundas, com seis delas superando os 10000 metros de profundidade. A curiosidade destas depressões é que as mesmas não se localizam em um ponto ao centro de cada oceano, porém junto às costas das ilhas vulcânicas e continentes. O fenômeno é perfeitamente compreensível  à luz da teoria tectônica de placas (teoria da geologia que descreve os movimentos de grande escala que ocorrem na litosfera terrestre) e da deriva dos continentes (teoria que trata do movimento dos continentes relativos um ao outro).

Principais fossas oceânicas, em ordem de grandeza:

  • Fossa das Marianas - 11033 m
  • Fossa de Tonga - 10882 m
  • Fossa das Kurilas - 10542 m
  • Fossa das Filipinas -10540 m
  • Fossa de Kermadec -10047 m
  • Fossa de Izu-Bonin (também chamada fossa de Izu Ogasawara) -9780 m
  • Fossa do Japão - 9000 m
  • Fossa de Porto Rico -8605 m
  • Fossa do Atacama (também chamada fossa do Peru-Chile) -8065 m

Com exceção da fossa de Porto Rico, localizada no Oceano Atlântico, todas as outras fossas acima localizam-se no Oceano Pacífico.

Bibliografia:
http://www.mundogump.com.br/peixes-bizarros-de-altas-profundidades/ - Página Mundo Gump - peixes bizarros de altas profundidades
http://www.enotes.com/earth-science/ocean-trenches - Página eNotes - Ocean Trenches (em inglês)
http://www.wisegeek.com/what-is-an-ocean-trench.htm - Página Wise Geek - What is an Ocean Trench? (em inglês)

Arquivado em: Geologia, Oceanografia