Terceira Via

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Terceira Via é o nome que se dá para uma corrente ideológica da social-democracia.

Nos anos 1970, o mundo estava polarizado entre países alinhados ao capitalismo estadunidense e países alinhados ao socialismo soviético. Este embate que ocorreu principalmente no campo ideológico esteve presente por algumas décadas desde o final da Segunda Guerra Mundial e pautou relações internacionais e a conduta de cada país como integrante desse contexto. O primeiro ministro britânico Tony Blair conseguiu reunir em Dublin, na Irlanda, personagens como Bill Clinton (que seria presidente dos Estados Unidos) e Fernando Henrique Cardoso (que seria presidente do Brasil) para discutir um projeto envolvendo a social-democracia que interessava a todos eles.

A reunião dessas lideranças mundiais tinha como proposta a adequação da social-democracia às novas ideias políticas, que, à época, era o neoliberalismo emergente. A princípio, a social-democracia é fruto de uma ruptura dentro do socialismo ocorrida no início do século XX. Em linhas gerais, seria uma ideologia de esquerda que defenderia a transição para o socialismo sem a necessidade de uma revolução. No entanto, com o passar dos anos, essa vertente ideológica apresentou condutas que a aproximou muito mais das ideias de direita do das ideias de esquerda. Quando Tony Blair reuniu as lideranças mundiais em 1978 para uma atualização da social-democracia, o resultado foi a formulação de propostas voltadas para a abertura, a desregulação e a desestatização das economias nacionais, ou seja, respondia ao perfil neoliberal que ganhara força com o governo de Margareth Thatcher na Inglaterra. A social-democracia foi marcante no século passado, sobretudo com a formulação do conceito de estado de bem-estar social, mas se enfraqueceu na década de 1980.

A Terceira Via foi a ideologia resultante da reformulação da social-democracia. Seria uma tentativa de reconciliação entre direita e esquerda, pois defendia uma política econômica conservadora associada a uma política social progressista. Seus defensores argumentam que o modelo ideológico está além do livre mercado e do socialismo democrático, seria algo inovador. Este fez muito sucesso na Austrália no final da década de 1980, mas foi mesmo muito popular nos governos do presidente estadunidense Bill Clinton e do primeiro-ministro inglês Tony Blair.

A Terceira Via defende a necessidade do Estado com interferência moderada na economia, assim como o combate à miséria e a responsabilidade pela segurança, saúde, educação e a previdência. A ideia foi especialmente adotada no Brasil durante o governo de Fernando Henrique Cardoso e na consolidação do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Após o sucesso que fez no mundo durante algumas décadas, a ideologia perdeu força no começo do novo milênio. Algumas vezes o termo foi atribuído ao que acontece na China, o que é um equívoco, pois trata-se, neste caso, de um Socialismo de Mercado, e não da Terceira Via.

Fontes:
GIDDENS, Anthony (Org.). O Debate Global sobre a Terceira Via. São Paulo: UNESP, 2007.
http://seer.ufrgs.br/Poled/article/view/22722
http://bdjur.stj.jus.br/dspace/handle/2011/27264

Arquivado em: Política