Aglutinação

Por Ana Paula de Araújo
As palavras da língua portuguesa podem ser formadas, basicamente, por dois processos: derivação ou composição. O processo de derivação acontece quando a palavra recebe um afixo e a partir de então passa a ter outro significado, ou seja, torna-se uma nova palavra, que será derivada da palavra anterior (palavra primitiva).

Já  o processo de composição ocorre quando utiliza-se duas ou mais palavras que juntas formarão uma nova palavra, classificada como palavra composta (duas palavras simples, com um único radical cada uma, formam uma nova palavra, composta por dois radicais diferentes).

São exemplos de palavras compostas: girassol, beija-flor, pé-de-moleque, entre outras.

As palavras compostas podem ainda receber duas denominações, dependendo de como elas foram compostas: palavras composta por JUSTAPOSIÇÃO ou por AGLUTINAÇÃO.

As palavras compostas por JUSTAPOSIÇÃO, como o próprio nome já  diz, são apenas justapostas, uma ao lado da outra, e estando juntas formarão uma terceira palavra. Neste caso, as palavras ficam intactas, não perdendo nenhum item da sua forma.

Já  o processo de AGLUTINAÇÃO consiste na junção de duas ou mais palavras, também com o objetivo de formar uma terceira palavra, porém uma delas ou as duas sofrerão alguma mudança na sua forma, ganhando ou perdendo letras, fonemas ou morfemas.

São exemplos de aglutinação:

BOCA + ABERTA = boquiaberta (neste caso o substantivo boca perdeu a sílaba –CA e o adjetivo aberta ficou intacto). Por uma questão de acomodação na hora da fala, a sílaba que ficou perdida ao longo do tempo foi substituída por outra: –QUI.

PLANO + ALTO = PLANALTO (perdeu-se apenas a vogal temática O).

Fonte:
Gramática Normativa da Língua Portuguesa (Rocha Lima)