Morfema

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Sempre abrir.

De maneira genérica, podemos dizer que os Morfemas são as partes que formam as palavras. Cada palavra é formada por uma ou mais unidades mínimas, as quais são dotadas de significação. Observe:

CASA

CASAR

CASÓRIO

CASAMENTO

DESCASADO

A palavra “CASA” é um substantivo, uma unidade de sentido a partir da qual os usuários da língua consigam formar sua imagem e associá-la ao que significa: moradia, local de convivência familiar, lar, etc. Trata-se de uma palavra a partir da qual são derivadas outras palavras de categorias sintáticas diferentes, porém em campos de sentidos muito próximos.

É possível observar que as palavras mantêm uma parte idêntica entre si “CAS”, é o que se chama de Radical ou Raiz. As outras unidades que se juntam ao Radical e formam outras palavras são chamadas de Afixos. Tanto o Radical, quanto os Afixos são chamados de Morfemas.

Classificação dos Morfemas

Os Morfemas são classificados em dois tipos: Lexicais e Gramaticais.

Morfemas Lexicais

São os Radicais das palavras. São eles quem permitem a grande variedade de palavras com significados diferentes de uma língua. Trata-se de uma unidade de significação que permite a formação de diversas palavras as quais atribuem nomes às variadas situações, pessoas, sentimentos, objetos etc.

Exemplos:

Mar (deriva outras palavras, como: maresia, maré, marujo)

Feliz (deriva outras palavras, como: felicidade, felizmente, infeliz)

Ambas palavras são formadas apenas por um Morfema Lexical, dão nomes a coisas distintas e, portanto, são unidades de sentido completamente diferentes.

Morfemas Gramaticais

São os Afixos, os quais marcam nas palavras categorias como gênero, número, modo, pessoa. Os Afixos podem aparecer antes do Radical, são chamados de Prefixos, e também, posteriormente ao Radical, chamados de Sufixos.

Exemplos:

Maresia – Radical: “Mar”, Sufixo: “esia”

Infelicidade – Prefixo: “In”, Radical: felic, Sufixo: “idade”

Elementos Mórficos Gramaticais

Desinências nominais

São os Morfemas que marcam nos Substantivos, Adjetivos e Pronomes categorias como gênero (masculino e feminino), número (singular e plural).

Exemplos:

garoto (substantivo masculino, singular)

meninas (substantivo feminino, plural)

zangadas (adjetivo feminino plural)

este (pronome demonstrativo masculino singular)

Desinências verbais

São os Morfemas que marcam nos Verbos o tempo-modo e número-pessoa.

Exemplos:

Cantei – Pretérito Perfeito do modo Indicativo, primeira pessoa do singular (eu)

Vacinarão – Futuro do modo Indicativo, terceira pessoa do plural (eles)

Vogal Temática

São Morfemas vocálicos, ou seja, de vogais, as quais estão localizadas entre o Radical e as Desinências. Na língua Portuguesa, são dois tipos de Vogais temáticas: Nominais e Verbais. O conjunto formado por Radical e Vogal temática é chamado de Tema.

Vogais Temáticas Nominais: A, O, E

Exemplos:

artista (não permite outra flexão de gênero, como “artisto”)

pássaro (não permite “pássara”)

radiante (não permite “radianto”)

Vogais Temáticas Verbais: A, E, I

Exemplos:

Primeira conjugação “ar”
Vogal Temática “a”
Falar, falava, falasse, falarão
Cantar, cantasse, cantava

 

Segunda conjugação “er”
Vogal Temática “e”
Correr, correram, corremos
Fazer, fazemos, fazem

 

Terceira conjugação “ir”
Vogal Temática “i”
Sorrir, sorriram, sorriste
Agir, agistes, agiram

Vogal e Consoante de ligação

Promovem a união do Sufixo ao Radical a partir de elementos mórficos que não têm significação gramatical própria.

Exemplos:

café - cafeteria

jaca - jaqueira

Arquivado em: Linguística, Português