Substantivos

Mestre em Linguística, Letras e Artes (UERJ, 2014)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFBA, 2007)

Convencionou-se que os substantivos são as palavras que nomeiam os seres em geral. Nesta convenção há aspectos gramaticais importantes para entender o funcionamento dos substantivos dentro e fora dos contextos de usos linguísticos.

Esta classe de palavras possui significado lexical e atribui nome para:

  • Objetos substanciais: exemplos: homem, casa, livro, mesa, armário, carro, etc.
  • Objetos apreendidos manualmente como substanciais, tais como: qualidades (bondade, honestidade, integridade), estados (saúde, doença), processos (chegada, entrega, aceitação), dentre outros.

Para algumas gramáticas os processos e os fenômenos não são “objetos”. Elas explicam que os substantivos também nomeiam processos, acontecimentos e fenômenos, tais como; chuva, ventania, caminhada, etc.

Significado da palavra "substantivo"

Uma pesquisa etimológica da palavra “substantivo” conforme a “Nova Gramática do Português Brasileiro", de Ataliba Castilho, apresenta que “Substantivo significa literalmente “o que está debaixo, na base”, é a tradução latina do grego hypokéimenon.” Através da definição deste vocábulo, pelos gramáticos gregos, compreende-se o substantivo como parte fundamental do texto, não há texto sem os substantivos.

Nesse sentido, Ataliba de Castilho (2016) afirma que o substantivo e o verbo constituem categorias sintáticas de base, sem as quais não se constrói uma sentença.

Uma observação importante sobre as funções das palavras nas orações

No âmbito da funcionalidade dos substantivos, eles poderão cumprir a função de:

Toda vez que em uma análise sintática outra classe gramatical exercer uma dessas funções, ela estará ocupando morfologicamente a classificação de substantivo. O que pode acontecer, por exemplo, com um pronome, um numeral ou qualquer palavra substantivada.

Classificação dos substantivos

Concretos e abstratos

De acordo com Evanildo Bechara, substantivo concreto designa um ser que existe de maneira independente: casa, mar, sol, automóvel, mãe.

São substantivos concretos nomes próprios, pessoas lugares, instituições, por exemplo.

Substantivo abstrato é o que designa uma existência dependente, ligado a outro ser ou processo, designam ações (abraço, sorriso), estado e qualidade considerados fora dos seres: prazer, beijo, trabalho, saída, beleza, cansaço.

Próprios e comuns

Os próprios fazem parte de um conjunto de seres considerados em suas individualidades. Utiliza-se letras maiúsculas para diferenciar que esses nomes se referem a indivíduos ou lugares com existências únicas, mesmo que os nomes possam se repetir, cada substantivo será único. Exemplo: nomes de pessoas como Maria, Maria Flor, Maria da Fé.

Os substantivos comuns são todos aqueles que já foram referidos anteriormente, tais como processos, ações, fenômenos ou objetos substanciais: casa, mesa, cama, cadeira, cachorro, beijo, carinho, passeata, etc. São palavras que possuem características comuns em quaisquer contextos extralingüístico nos quais existem.

Substantivos coletivos

São substantivos comuns, que designam um conjunto de objetos ou espécies, porém se apresentam no singular.

Existe uma lista de substantivos coletivos comumente apresentados nas gramáticas como os mais significativos e usuais, seguem alguns exemplos:

  • Alcatéia – de lobos
  • Legião – de soldados, demônios
  • Manada – de bois, búfalos, elefantes
  • Matilha – de cães de caça
  • Quadrilha – de ladrões
  • Ramalhete – de flores
  • Constelação – de estrelas.
  • Arquipélago – de ilhas.

Flexões dos substantivos

Os substantivos podem variar em número, gênero e grau.

  • Número se refere ao singular ou plural
  • Gênero se refere ao masculino ou feminino
  • Grau se refere à apresentação normal, exagerada ou diminuída, ou seja; aumentativo ou diminutivo.

Sobre o grupo de classes de palavras denominadas nominais

Substantivos e adjetivos compartilham um grande número de traços mórficos comuns, ambos têm o mesmo processo de flexão de gênero e número. Por isso os traços morfológicos não são suficientes para distinguir uma classe da outra, sendo necessário fazer uso de um critério sintático e funcional para obter uma distinção correta. Observe no exemplo a seguir:

A) Uma negra jovem foi aprovada no concurso para docente no programa de pós-graduação.

B) Uma jovem negra foi aprovada no concurso para docente no programa de pós-graduação.

No exemplo A o nome “negra” encontra-se acompanhado do artigo, o que o coloca no centro do sintagma nominal, logo será classificado como substantivo. Ao passo que, o nome ”jovem” surge qualificando o nome anterior, acompanhando-o e atribuindo-lhe uma característica.

Bibliografia:

CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016

Arquivado em: Português