Complemento nominal

Mestre em Ciências Humanas (CEFETRJ, 2014)
Especialista em Linguística, Letras e Artes (CEFETRJ, 2013)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFRJ, 2011)

Pode-se definir complemento nominal como o termo integrante da oração que complementa o significado de um nome, que pode ser um substantivo, um adjetivo ou um advérbio. É sempre ligado ao nome a que se refere por meio de uma preposição. O complemento nominal desempenha em relação ao nome uma função semântica comparável à função que os complementos verbais, objeto direto e indireto, desempenham em relação ao verbo; a de ser necessário para completar um sentido expresso de forma parcial. Sintaticamente, o complemento nominal se difere do objeto indireto somente pelos termos com os quais se relacionam; complementos nominais são selecionados por nomes e objetos indiretos são selecionados por verbos, mas ambos se ligam a quem os seleciona por meio de preposição.

De modo mais prático, tomemos uma oração como exemplo para análise: “O juiz apitou favoravelmente a um dos times”, em que o termo sublinhado completa o sentido expresso em partes pelo nome advérbio que, sozinho, não é capaz de fazer sentido completo. Tomemos outros exemplos: “A queima de fogos assustou os cachorros”, em que o termo sublinhado complementa o significado expresso pelo nome substantivo “A queima”; ou ainda em “A sala estava cheia de brinquedos”, em que o termo sublinhado complementa o significado do nome adjetivo “cheio”. Note-se que sem o complemento nominal, o elemento sublinhado em cada um dos exemplos, o nome (“favoravelmente a...”, “A queima de...” e “cheia de...” não é capaz de se expressar satisfatoriamente sozinho sem um termo que complete o seu sentido. Essa é uma característica dos termos integrantes da oração, grupo de que faz parte, além do complemento nominal, também os complementos verbais, objeto direto e objeto indireto, e o agente da passiva.

É importante notar que a maior parte dos nomes que exigem um complemento nominal para ter seu sentido completo são nomes derivados de verbos transitivos, aqueles que precisam de um complemento verbal (um objeto direto ou indireto). Como “A construção do metrô”, em que o nome construção é derivado do verbo “construir”; ou “A necessidade de mudança é urgente”, em que o nome “necessidade” é derivado do verbo "necessitar"; ou ainda “A promoção do supermercado”, em que o nome “promoção” é derivado do verbo “promover”.

Como grande parte dos vocábulos nominais em Língua Portuguesa, o complemento nominal também pode ser substituído por um pronome. Os pronomes oblíquos, em geral as formas átonas (me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes) podem figurar em substituição à forma de complemento verbal com preposição, a exemplo de “Tenha-me consideração”, em que o pronome “me” substitui a forma preposicional “por mim”, de “Tenha consideração por mim”, complementando o nome substantivo consideração; ou ainda “Viajar não me seria conveniente neste momento”, em que o pronome “me” substitui a forma preposicional “para mim” de “Viajar não seria conveniente para mim neste momento”, complementando o nome adjetivo conveniente; ou “Caminhar lhe era saudável”, em que o pronome “lhe” substitui a forma preposicional “a ele/ela” de “Caminhar era saudável a ele/ela”, complementando o nome adjetivo “saudável”.

Arquivado em: Português