Termos integrantes da oração

Mestre em Linguística (USP, 2019)
Graduada em Letras (USP, 2016)

Sempre abrir.

Uma oração é uma estrutura sintática composta no mínimo por um sujeito e um verbo, de modo a configurar a relação de sujeito e predicado. Neste artigo, destrincharemos quais os termos integrantes dessa estrutura, pois nem sempre ela é composta apenas por um sujeito simples e um verbo finito.

Complemento nominal

Por definição, espera-se que um complemento seja um elemento adicional que integre o todo a fim de completá-lo. É precisamente isso que o complemento nominal faz com um nome, isto é, um substantivo ou ainda um pronome, um adjetivo ou um numeral.

Observe como se dá a relação entre o complemento nominal e cada um dos elementos citados acima:

  • substantivo: Estamos aguardando a chegada da chuva.
  • pronome: Quando não se arruma, ela sente horror de si mesma.
  • numeral: A ideia de um acabou contaminando a todos.

Complementos verbais

Por sua vez, os complementos verbais são aqueles que complementam o verbo das orações. Eles se dividem em objeto direto, objeto indireto, predicativo do objeto e agente da passiva.

Objeto direto

Trata-se do complemento de um verbo transitivo direto, isto é, da relação direta entre o verbo e seu objeto sem a interferência de uma preposição. São exemplos os trechos destacados das construções abaixo:

  • substantivo: Eu quero dinheiro já!
  • pronome: Não precisa ir a pé porque eu vou te levar de carro.
  • numeral: Tenho dois filhos, mas eles não moram mais comigo.

Objeto indireto

No caso do objeto indireto, há a interferência da preposição na relação entre o verbo e o seu objeto. Portanto, essa relação se dá de maneira indireta. Diz-se que quando o verbo necessita da preposição para se ligar ao objeto, este verbo é intransitivo.

São exemplos dessa relação as construções abaixo:

  • substantivo: Ela gosta da riqueza dele.
  • pronome: Você está duvidando de mim?
  • numeral: Ele deixou sua fortuna aos quatro filhos.

Predicativo do objeto

O predicativo do objeto é o elemento da oração que complementa os objetos direto ou indireto de modo a lhes conferir alguma qualidade. São exemplos:

  • objeto direto: Eu considero o celular indispensável.
  • objeto indireto: Chamei-lhe de feia.

Construções com o predicativo do objeto indireto são mais raras, principalmente considerando o fato de que no discurso, isto é, no português coloquial, orações em que há ênclise não são mais tão frequentes.

Predicativo do sujeito

Há casos em que o elemento que funciona como predicativo na oração não faz referência ao objeto, mas ao sujeito. Nesse caso, o classificamos como predicativo do sujeito. Veja como se dá a relação entre elementos da oração nos exemplos disponíveis logo abaixo.

  • O funcionário é irresponsável.
  • A aluna permanece irrepreensível.
  • Eu continuo focado.
  • Ele fica cansado quando não dorme pelo menos oito horas.
  • Maria parece deprimida hoje.
  • Meu pai anda cabisbaixo com a falta de emprego.
  • Eu estou chocado com a sua falta de atenção.

A partir dos exemplos é possível observar uma regularidade da língua. Os predicativos do sujeito são geralmente antecedidos por um verbo de ligação. No português, são eles: ser, estar, continuar, andar, ficar, permanecer e parecer.

Agente da passiva

O agente da passiva é um complemento da oração que irá identificar a entidade responsável pelo desencadeamento de uma ação que foi sofrida ou recebida pelo sujeito. Trata-se de um complemento verbal e não do sujeito da ação, uma vez que a oração está na voz passiva.

  • Este livro foi escrito por um professor muito adorado por nós.
  • A praia é para ser desfrutada por todo mundo.

Lembre-se que nos exemplos acima, os sujeitos em questão para cada construção são 'este livro' e 'a praia', respectivamente.

Referência:

Cunha, C. & Cintra, L. (1985). Nova gramática do português contemporâneo. 2ª edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Arquivado em: Português