Sujeito

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

O Sujeito é um dos termos essenciais da oração, o qual concorda em número e pessoa com o Verbo.

Quando estudamos sobre a sintaxe dos períodos simples, aprendemos que os termos essenciais são os elementos que mantêm a estrutura básica das orações, que são o Sujeito e o Predicado. Enquanto o sujeito concorda em número e pessoa com o verbo, o predicado realiza uma afirmação sobre o sujeito.

Esses termos são considerados essenciais porque trazem as informações necessárias à construção de enunciados sintatica e semanticamente lógicos, como: o que aconteceu, como aconteceu e quem realizou ou recebeu a ação. Veja o exemplo a seguir:

Lara, André e João Vitor vão passear na praia pela manhã.

  • Sujeito: Lara, André e João Vitor
  • Predicado: vão passear na praia pela manhã.

Como você pôde observar, o Sujeito da oração é composto “Lara, André e João Vitor” (eles – terceira pessoa do plural), pois é o termo que realiza a ação “passear” e concorda com a locução verbal “vão passear” .

Grande parte das orações é formada por sujeito e predicado, pode acontecer de uma oração não apresentar Sujeito, mas com toda certeza terá um Predicado. Isto significa que, à exceção do sujeito e do vocativo, tudo aquilo que constitui as orações faz parte do predicado.

Tipos de sujeitos

A classificação dos tipos de Sujeitos está relacionada ao núcleo de um sintagma. Dessa forma, nas orações, é possível ocorrer: sujeitos simples ou compostos, determinados ou indeterminados. O núcleo é o termo central de um Sintagma Nominal ou Verbal. Veja o exemplo:

Os gigantes Jequitibás são árvores protegidas por lei.

  • Sujeito: Os gigantes Jequitibás
  • Predicado: são árvores protegidas por lei
  • Núcleo do sintagma nominal: Jequitibás

Sujeito simples ou Sujeito composto

O Sujeito simples apresenta apenas um núcleo, enquanto o Sujeito composto apresenta mais de um.

Exemplos de orações com Sujeito Simples:

  • Joana foi buscar café na mercearia do Walter.
  • Os professores entregaram os diários antes do prazo estabelecido.
  • Várias araras cruzam o céu de Alto Paraíso diariamente.

Exemplos de orações com Sujeito Composto:

  • Os professores e os alunos foram ao ginásio da escola para a assistiram ao desfile de 7 de setembro.]
  • Pedro Paulo e Raíssa organizaram uma festa de despedida para seus cunhados.
  • Várias araras e tucanos cruzam o céu de Alto Paraíso diariamente.

Sujeito oculto ou elíptico

O Sujeito nem sempre aparece de forma explícita nas orações. Quando isso acontece, sua identificação é possível a partir da análise do contexto ou das flexões verbais de número e pessoa ou por sua presença em outra oração do mesmo período ou de um período antecedente.

Exemplos de sujeito oculto:

  • Gostaram muito da sua feijoada. (sujeito eles/elas oculto/elíptico no verbo gostar)
  • Convidei todos da lista.
  • O amor é chama da vida, enaltece virtudes, promove felicidade.

* Na primeira oração “O amor é chama da vida”, o sujeito “o amor” aparece sendo retomado e oculto/elíptico nos verbos enaltecer e promover nas orações seguintes.)

Sujeito determinado

É aquele que aparece explícito na oração e pode ser identificado pela flexão de número-pessoa do verbo ou pelo contexto do enunciado, ou seja, quando o sujeito está presente em outra oração do mesmo período ou do período antecedente.

Exemplos:

  • João Vitor quebrou o vidro da janela com a bola.
  • Alguns cheques seus voltaram.

É importante esclarecer que quando os Sujeitos são constituídos por pronomes indefinidos não é possível identificar o referente pronominal específico, entretanto, aparecem explícitos na oração sintaticamente e, portanto, são considerados como determinados. Observe os exemplos:

  • Alguém pegou a minha caneta.
  • Ninguém invade um local sem antes tê-lo conhecido.

Sujeito indeterminado

O sujeito indeterminado ocorre quando não é possível localizar na oração um referente explícito para a flexão verbal. Na Língua Portuguesa, os sujeitos indeterminados podem ser caracterizados por duas estruturas sintáticas:

Verbo Transitivo Direto flexionado na terceira pessoa do plural.

Exemplos:

  • Apagaram vários incêndios.
  • Eliminaram os focos.

Verbo Transitivo Indireto, Verbo Intransitivo ou Verbo de Ligação flexionado na terceira pessoa do singular + Pronome “se” (índice de indeterminação do Sujeito).

Exemplos:

  • Alugam-se casas.
  • Dorme-se muito bem neste hotel.
  • Precisa-se de diarista que durma no local.

Oração sem Sujeito

Existem orações construídas por verbos impessoais, os quais não se referem a uma pessoa do discurso e, por isso, não admitem um sujeito (sujeito inexistente).

Tipos de Oração sem Sujeito

A inexistência de um Sujeito na oração ocorre nos seguintes contextos:

1. Quando há Verbos que indicam fenômenos da natureza.

Exemplos:

  • Choveu demais ontem à noite.
  • No litoral anoitece mais cedo.
  • Relampeou demais no sul do Brasil essa semana.

2. Quando os Verbos ser, estar, fazer, haver estão relacionados aos fenômenos da natureza ou a expressões que indicam tempo.

Exemplos:

  • Agora é tarde.
  • somente cinco meses.
  • Faz seis meses desde então.

3. Quando o Verbo “haver” é usado no sentido de “existir”.

Exemplos:

  • muitas pessoas que só pensam em si mesmas.
  • Havia tempo que não comia isso.
  • Houve muitos problemas com o software.

Referência:

ABURRE, Maria Luiza M. Gramática: texto: análise e construção de sentido. Volume único. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2010. p. 382 a 389.

Exercícios e questões de vestibulares

Questão 01: (ADVISE 2009)

Na frase: “Querido, deixei seu café pronto na copa.”, temos:

Veja a resposta desta e mais outras questões!
Exercícios sobre Sujeito - Questões
Arquivado em: Português