Verbo transitivo direto

Mestre em Linguística (USP, 2019)
Graduada em Letras (USP, 2016)

Em linhas gerais, o verbo transitivo direto - popularmente conhecido como VTD - é aquele que se conecta a um objeto sem a interferência de uma preposição. Ou seja, a relação de transitividade entre verbo e objeto é direta, sem a ajuda de nenhum outro elemento na oração.

Por esse motivo, também chamamos de direto o objeto que se liga a um verbo transitivo direto. Logo abaixo apresentamos uma lista de orações em que há VTDs:

  • Eu comprei sapatos ontem.
  • A minha mãe recomendou esse livro.
  • Os alunos aguardaram o recreio com ansiedade.
  • Esse barulho incomoda a vizinhança.

Nos exemplos acima, é bastante fácil identificar qual o objeto porque ele vem logo após o verbo. No entanto, nem sempre é simples identificar qual é o objeto e se o verbo em questão é um VTD. Falamos sobre essas questões na seção a seguir.

Como saber se um verbo é um VTD?

Dissemos anteriormente que duas questões de vez em quando dificultam a tarefa de quem quer identificar qual o verbo transitivo direto e qual o seu objeto na hora de fazer a análise sintática.

Uma maneira bastante simples de identificar o verbo é verificar que tipo de informação ele pede. No caso do verbo transitivo direto, esperamos que a relação de transitividade seja direta, o que implica na ausência de uma preposição entre verbo e objeto.

Nessa conjuntura, se estiver em dúvida sobre um verbo em questão, observe se a informação que ele requer necessita ou não de algum outro elemento que não seja um objeto direto. Observe como fazer isso nos exemplos abaixo:

  • querer - o sujeito que quer, quer alguma coisa;
  • doar - o sujeito que doa, doa algo para alguém;
  • gostar - o sujeito que gosta, gosta de algo ou alguém.

Nos exemplos, a única opção que apresenta um verbo transitivo direto é a primeira. No que diz respeito ao verbo doar, temos um verbo bitransitivo. Ou seja, ele pede duas informações. Por fim, o último exemplo é o de um verbo transitivo indireto, em que a única informação solicitada pelo verbo necessita da mediação feita por uma preposição.

Uma segunda maneira de identificar se um verbo é um verbo intransitivo direto é analisando o objeto. Considere as construções abaixo:

  • João anda cansado.
  • Eu permaneço disposta.
  • Ela parece grávida.

Considerando o tipo de informação que o verbo pede, é tentador assumir que os verbos nos exemplos acima se tratam de verbos transitivos diretos. No entanto, veja que a informação contida no complemento do verbo não diz respeito a uma entidade diferente daquela que é o sujeito da oração.

Assim, o que o verbo desses exemplos faz é ligar o sujeito e o objeto hipotético a uma única referência. Quando esse é o caso, não temos verbos transitivos diretos, mas verbos de ligação.

Os verbos de ligação, diferentemente dos verbos transitivos, não indicam uma ação, mas uma qualidade ou um estado. Eles ligam um sujeito a suas características.

O caso do objeto direto preposicionado

Por fim, é importante mencionar que existem casos em que o verbo é transitivo direto, mas a relação entre verbo e objeto é mediada por uma preposição. Apesar disso, as informações que discutimos sobre como identificar um verbo transitivo direto se mantém.

No exemplo abaixo, temos um caso de objeto direto preposicionado.

  • O policial defendeu a todos.

Ao investigarmos que tipo de informação o verbo pede, verificaremos que quem 'defende', 'defende alguém'. Ou seja, a relação de transitividade imposta pelo verbo é a de uma transitividade direta. Ademais, o objeto é legítimo, de modo que não podemos confundir o verbo em questão com um verbo de ligação.

Nestes casos de objeto direto preposicionado, a maneira mais adequada de entender quando empregá-lo é aprendendo os contextos de uso previstos pela gramática normativa.

Arquivado em: Português