Flexão de gênero nos substantivos

Por Ana Paula de Araújo
Quanto ao gênero, os substantivos podem ser flexionados em dois gêneros: masculino e feminino. Gênero é  a propriedade que as palavras têm de indicar sexo real ou fictício dos seres.

Temos por regra que todo substantivo masculino é caracterizado pela desinência “o” e o feminino pela desinência “a”. No entanto, nem todos os substantivos masculinos terminam em “o” (ex. telefonema), assim como nem todos os substantivos femininos terminam em “a” (ex. mulher) .

Portanto:

  • Pertencem ao gênero masculino os substantivos que podem vir precedidos dos artigos o, os, um, uns.
  • Pertencem ao gênero feminino os substantivos que podem vir precedidos dos artigos a, as, uma, umas.
  • o estudante (masculino)
  • a estudante (feminino)
  • o cabeça (líder)
  • a cabeça (parte do corpo)

Quanto à forma, os substantivos podem ser:

Substantivos biformes: apresentam duas formas originadas do mesmo radical. Exemplos: menino - menina, traidor - traidora, aluno - aluna, gato - gata.

a) Regra geral: troca-se a terminação -o por -a.

Por exemplo:

aluno - aluna

b) Substantivos terminados em -ês: acrescenta-se -a ao masculino.

Por exemplo:

freguês - freguesa

c) Substantivos terminados em -ão: fazem o feminino de três formas:

- troca-se -ão por -oa.

Por exemplo:

patrão - patroa

- troca-se -ão por.

Por exemplo:

campeão - campeã

-troca-se -ão por ona.

Por exemplo:

solteirão - solteirona

Exceções:

  • barão - baronesa
  • ladrão- ladra
  • sultão - sultana

d) Substantivos terminados em -or:

- acrescenta-se -a ao masculino.

Por exemplo:

doutor - doutora

- troca-se -or por -triz:

imperador - imperatriz

e) Substantivos com feminino em -esa, -essa, -isa:

  • cônsul - consulesa
  • abade - abadessa
  • poeta - poetisa

f) Substantivos que formam o feminino trocando o -e final por -a:

elefante - elefanta

g) Substantivos que têm radicais diferentes no masculino e no feminino:

  • bode - cabra
  • boi - vaca

h) Substantivos que formam o feminino de maneira especial, isto é, não seguem nenhuma das regras anteriores:

  • czar - czarina
  • réu - ré

Substantivos heterônimos: apresentam radicais distintos e dispensam artigo ou flexão para indicar gênero, ou seja, apresentam duas formas uma para o feminino e outra para o masculino. Exemplos: arlequim - colombina, arcebispo - arquiepiscopisa, bispo - episcopisa, bode - cabra, ovelha - carneiro.

Substantivos uniformes: apresentam a mesma forma para os dois gêneros, podendo ser classificados em:

Epicenos: referem-se a animais ou plantas, têm um só gênero e nomeiam bichos. Geralmente acrescenta-se as palavras macho e fêmea, para distinção do sexo do animal.

Exemplos: a onça macho - a onça fêmea; o jacaré macho - o jacaré fêmea; a foca macho - a foca fêmea.

Comuns de dois gêneros: o gênero é indicado por meio do artigo.

Exemplos: o dentista - a dentista, um jovem - uma jovem, o imigrante italiano - a imigrante italiana.

Sobrecomuns: têm um só gênero e nomeiam pessoas.

Exemplos: a criança, a testemunha, a vítima, o cônjuge, o gênio, o ídolo, o indivíduo.

Existem certos substantivos que, variando de gênero, variam em seu significado.

Por exemplo:

  • o rádio (aparelho receptor) e a rádio (estação emissora)
  • o capital (dinheiro) e a capital (cidade)