Frase, oração e período

Por Roberta de Sousa
Aqui temos um trecho do livro de Machado de Assis, A mão e a luva.

Elegantíssimo, pelo contrário.

- O senhor tem sempre um cumprimento de reserva: vejo que não perdeu o tempo na academia, Vou-me embora. São horas da baronesa dar o seu passeio pela chácara.

 

- Será aquela senhora que ali está no alto da escada? Perguntou Estevão.

No enunciado as palavras vão se intercalando e formando uma mensagem. Ao analisar cada uma dessas mensagens, percebe-se um emaranhado de palavras com sentido.

“Elegantíssimo, pelo contrário.”, o enunciado fornece uma mensagem sem utilizar verbo é o que chamamos de frase.

Frase

É o enunciado com sentido completo, capaz de fazer uma comunicação.

Na frase é facultativo o uso do verbo.
Exemplos:
- Atenção!
- Que frio!
- A China passa por dificuldades.

As frases classificam-se em:

Declarativa: faz uma declaração. “Os olhos luziam de muita vida...” (Machado de Assis)

Interrogativa: utiliza uma pergunta. “Entro num drama ou saio de uma comédia?” (Machado de Assis)

Exclamativa: expressa sentimento. “Que imenso poeta, D. Guiomar!” (Machado de Assis)

Imperativa: dá uma ordem ou pedido. “Chegue-se mais perto...” (Machado de Assis)

Optativa: expressa um desejo. "Tomara que você passe na prova".
“Vou-me embora.”, o enunciado fornece uma mensagem, porém usou verbo é o que chamamos de oração.

Oração

É o enunciado com sentido que se estrutura com base em um verbo.

Na oração é preciso usar verbo ou locução verbal.
Exemplos:
- A fábrica, hoje, produziu bem.
- Homens e mulheres são iguais perante a lei.

- O senhor tem sempre um cumprimento de reserva: vejo que não perdeu o tempo na academia, Vou-me embora.”, o enunciado apresenta uma mensagem em que se utilizou vários verbos é o que chamamos de período.

Período

É a oração composta por um ou mais verbos.

O período classifica-se em:

Simples: tem apenas uma oração.
- “As senhoras como se chamam?” (Machado de Assis)

Composto: tem duas ou mais orações.
- “Um deles perguntou-lhes familiarmente se iam consultar a adivinha”. (Machado de Assis)