Frase, oração e período

Graduada em Letras-Português (USP, 2011)

1. Frase

Define-se como todo e qualquer enunciado de sentido completo, não importando se é formado por uma ou várias palavras, ou se possui verbos ou não; caso não os possua passa a ser chamada de frase nominal.

Frases têm como objetivo exprimir ideias, emoções, ordens, apelos etc. A entonação é responsável por indicar de maneira clara o início e o fim de uma frase, assim como é capaz de ajudar a dar sentido a ela. Através de gestos e expressões faciais e corporais, somados ao contexto em que a frase está sendo dita, uma curta frase pode ganhar extenso significado. Na língua escrita a entonação é garantida pela pontuação, ficando o próprio texto encarregado de munir a frase de contexto, o que traz a necessidade de frases mais completas, por isso algumas vezes mais extensas.

Existem 5 tipos de frase. São elas:

1.1. Frases interrogativas: ocorrem quando são empregadas com o intuito de obter alguma informação através de pergunta. A interrogação pode ser direta ou indireta, conforme os exemplos:

a) Você gostaria de dançar? (interrogação direta)

b) Desejamos saber quando ocorrerá o pagamento da dívida (interrogação indireta)

c) Você tem alergia a algum tipo de medicação? (interrogação direta)

d) Gostaríamos de saber se a senhora possui algum tipo de alergia a medicamentos (interrogação indireta)

1.2. Frases imperativas: dá-se esse nome às frases em que existe uma ordem, pedido ou conselho sendo dado pelo emissor. Podem ser negativas ou afirmativas.

Exemplos:

a) Cale-se! (afirmativa)

b) Não deixe a porta aberta. (negativa)

c) Jogue isto no lixo. (afirmativa)

d) Nunca permita que falem dessa forma com você. (negativa)

1.3. Frases exclamativas: nesse tipo de frase o emissor externa um estado afetivo.

Exemplos:

a) Que filme horrível!

b) A torta estava muito gostosa.

c) O dia de hoje foi super difícil.

d) Esse livro é interessantíssimo.

1.4. Frases declarativas: nesse tipo de frase o emissor constata um fato, informa ou declara alguma coisa. Podem ser afirmativas ou negativas.

a) Hoje é nosso último dia de aula. (afirmativa)

b) Ontem a merenda escolar não foi servida. (negativa)

c) Pedro jamais mentiria para mim. (negativa)

1.5. Frases optativas: nelas o emissor manifesta um desejo.

Exemplos:

a) Deus te abençoe!

b) Espero que tudo dê certo

c) Que hoje seu dia seja muito feliz.

No que diz respeito à classificação, as frases podem ser nominais ou verbais.

Frase Nominal: a frase não possui verbos em sua construção.

Exemplos:

a) Cuidado!

b) Credo!

c) Silencio!

d) Muito bonito isso, hein?

Frase Verbal: a frase possui verbo em sua construção.

Exemplos:

a) O bolo de Antônia ficará lindo.

b) Amanhã acordarei bem cedo.

c) Queremos lhe agradecer por tudo.

d) Pedimos desculpas pelo atraso.

2. Oração

Frases que possuam sentido completo e verbo (ou locução verbal) são consideradas orações. Uma frase pode conter uma ou mais orações, a depender do número de verbos e que possua.

Exemplos:

a) Murilo brincou no parquinho. (uma oração)

b) Hoje levarei o Murilo ao parquinho, ele brincará bastante. (duas orações)

c) Amanhã levarei Murilo ao parquinho, ele brincará com a Carol, porém serei cuidadosa. (três orações)

3. Período

Trata-se de frases formadas por uma ou mais orações, tendo no seu todo um sentido completo. O período pode ser simples ou composto.

3.1. Período simples: é formado por apenas uma oração, chamada de oração absoluta.

a) O almoço hoje será um assado.

b) Crianças precisam de amor e disciplina.

c) Ele me presenteou com um lindo anel.

d) Leandro é um menino encantador, porém levado.

3.2. Período composto: é formado por duas ou mais orações.

a) Quando o demitiram sua vida ficou sem sentido.

b) Comprarei aquela bola para presentear meu filho.

c) Eu quero que todos saibam o que aconteceu ontem quando cheguei aqui.

d) Cheguei, dancei, bebi, namorei e mostrei a todos como se curte a vida.

Referência Bibliográficas:

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37ª ed. Rio de Janeiro: Editoras Nova Fronteira e Lucerna, 2009. 574 p.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. Companhia Editora Nacional. 695 p.

Arquivado em: Português